Partilhe nas Redes Sociais

PUB

GMV: Innovating solutions in Cybersecurity

20 anos e 20% do negócio além fronteiras

Publicado em 20 Outubro 2015 | 127 Visualizações

 

Os dois dígitos marcam positivamente um percurso de negócio com duas décadas, durante o qual a Noesis procurou não só consolidar a sua presença em Portugal, mas também ganhar terreno nos mercados internacionais. Alexandre Rosa, CEO da empresa, faz um balanço positivo da actividade da Noesis contabilizando quatro escritórios em Portugal (dois em Lisboa, um no Porto e outro em Coimbra), e quatro lá fora no Brasil, em Angola, na Bélgica/ Holanda e o mais recente na Irlanda.

 

 

Ntech.news – Qual o balanço que fazem destes 20 anos de actividade?

Alexandre Rosa – Quando lançámos este projeto, não imaginaríamos que volvidos vinte anos, tivéssemos a dimensão e o posicionamento no mercado que conseguimos.

 

 

Quais os maiores desafios que enfrentaram nestas duas décadas?

 

Desde o primeiro dia que mantivemos os mesmos princípios: Audácia, Inovação, Ética e Responsabilidade. Em termos de desafios, são muito e diários, mas destaco dois: A Internacionalização, que foi, sem dúvida, o maior desafio que enfrentámos. Contactar com diferentes realidades obrigou, muitas vezes, a empresa a repensar processos, formas de trabalhar e focar-se ainda mais nos resultados. A inauguração em países com culturas tão distintas, como o Brasil e Bélgica, obrigou a Noesis a pensar de ponta a ponta a estratégia para cada mercado e o modo como nos relacionamos com cada Cliente; o segundo desafio foi sem dúvida a Investigação e o Desenvolvimento. Na indústria em que nos inserimos, quase tudo o que importa, é a forma como vemos a tecnologia e como podemos contribuir para que os nossos Clientes cresçam e aumentem os seus resultados. Ao longo destes vinte anos, procurámos não só acompanhar a evolução tecnológica, mas também inovar nas áreas em que nos especializámos.

 

 

Com que facturação fecharam 2014 e como está a correr 2015?

 

No ano passado, crescemos praticamente 20%, 19% para ser mais rigoroso. Atingimos um volume de faturação de 20,6 milhões de euros. Este ano, vamos terminar o ano com um volume entre os 23 e os 24 milhões de euros. Existem áreas que duplicaram a faturação, existem áreas que, em termos de posicionamento no mercado, atingiram o estatuto de liderança, topo, com reconhecimento internacional.

 

 

Qual o peso actual do negócio internacional no volume de negócios?

 

O negócio internacional representa já cerca de 20% do volume de negócios total da empresa.

 

 

Quanto facturam em cada geografia?

 

Cada geografia teve uma estratégia e uma expetativa diferente. Analisar os números individualmente e isoladamente, podia minimizar ou mesmo enfraquecer, o principal objetivo. Por exemplo, a abertura do escritório em Dublin, que representa um passo extremamente importante com vista à consolidação do conhecimento tecnológico e das principais tendências do mercado. É nesta região que se concentram as operações europeias das tecnológicas mais relevantes a nível mundial. Assim, a aposta nesta região, centra-se no interesse que a Noesis tem em conhecer as melhores práticas a nível internacional. Não é só uma questão de volume de faturação. A aposta no Brasil é muito importante, já que é um mercado em desenvolvimento e falante de língua Portuguesa. Este mercado tem vindo a demonstrar à Noesis todo o potencial, no qual pretendemos continuar a marcar presença.

 

 

Há novas geografias no vosso radar? Que planos possuem a nível de expansão internacional?

 

Existem sempre novas ideias, mas no imediato o que queremos é dar continuidades ao projeto de internacionalização que iniciamos e faze-lo crescer nos mercados onde estamos. Mas sim, estamos a olhar para outros mercados, mas, não vamos falar disso agora. Vamos, seguramente, aproveitar e utilizar a experiencia para melhorarmos nas próximas

 

 

De que forma têm acrescentado valor ao sector tecnológico em que actuam?

 

Bem, essa é a preocupação e o princípio referi anteriormente. Se não acrescentarmos valor às organizações, vamos ter uma vida curta. Mas tem sido o contrário. E os 20 anos, que celebramos há umas semanas provam isso, mesmo. Continuamos a acrescentar valor!  O objetivo principal da empresa é claro e está centrado em investir num processo de Investigação e Desenvolvimento. Assim pretendemos posicionar-nos como uma referência nas soluções com que trabalha diariamente e divulgar as melhores práticas no mercado.

 

 

Qual é a vossa base de clientes actual?

 

Actualmente, a NoesisS tem uma base de clientes vasta, não só em Portugal mas também a nível internacional. Todos são muito importantes, mas os de maior dimensão estão na área de Telecomunicações, área Financeira, Retalho e Industria

 

 

Qual é a percentagem de negócio que representa o new business?

 

O new business esta fortemente relacionado com a internacionalização e, em franco crescimento, representando mais de 20% do volume de negócios total da empresa

 

 

Que tipo de projectos/soluções estão a ser mais pedidos pelo mercado?

 

Dentro da nossa oferta, destacamos os projetos de gestão de ativos em Cloud (SaaS). Estes projetos refletem uma crescente necessidade das empresas de retalho e indústria, em geral, e têm crescido no nosso mercado e ao nível internacional, necessitando de soluções de software baseadas em Cloud, de forma a poderem ser usadas por empresas em todo o mundo, sem o grande investimento inicial nos seus próprios datacenters. Cada vez mais, vemos o desenvolvimento a seguir o processo de ciclo Agile, para a transformação das suas aplicações legadas. A Noesis, usando a plataforma/parceria com a Outystems, tem vindo a responder, cada vez mais, à procura de desenvolvimento que para além de rápido consigam ligar os vários sistemas centrais e de middleware existentes nas empresas. A Qualidade do Software continua a ser tema de maior procura, mostrando tanto maturidade das nossas TI como também uma forma de otimizar os investimentos no desenvolvimento interno das empresas, garantindo que aquilo que vai para produção não implica mais problemas do que respostas.

 

 

Nos dias de hoje é fácil encontrar e cativar novos clientes?

 

Nunca é fácil esse trabalho. Hoje o cliente tem um conhecimento muito próprio e profundo do que quer e, sobretudo, das tendências e inovação tecnológica, que poderão ser aplicadas às suas organizações. Características como o conhecimento e a capacidade de relacionamento são elementos fundamentais na apresentação e discussão de uma proposta e obriga-nos a estar sempre entre os primeiros

 

 

O que distingue a Noesis dos concorrentes?

 

Um dos principais pontos que distingue a Noesis da sua concorrência é o seu posicionamento e atenção a todos os detalhes que são relevantes para o Cliente. Este é o ponto mais relevante a nosso ver. Existem outros que acreditamos serem vantagens competitivas face aos restantes, que é o plano internacional, a capacidade de adaptação e o conhecimento das melhores práticas internacionais.

 

 

Quantas pessoas constituem a vossa equipa e como planeiam fazê-la crescer mais este ano?

 

Atualmente a Noesis já ultrapassa os 500 colaboradores. Temos sempre necessidades de reforçar os nossos quadros nas diversas áreas de especialização. Pretendemos continuar a crescer de forma contínua e sustentada. Com o crescimento da empresa iremos contratar e, esperamos em 2015 estar em linha com o ano passado, em que contratámos cerca 50 novos colaboradores.


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados