Partilhe nas Redes Sociais

PUB

400 milhões de euros para universalizar a escola digital

Publicado em 8 Junho 2020 por Cristina A. Ferreira - Ntech.news | 183 Visualizações

Programação nas escolas

A Covid-19 «evidenciou uma necessidade estrutural que já estava bem identificada e caracterizada: a necessidade dotar as escolas, os docentes e os alunos para o desenvolvimento de competências digitais no trabalho escolar», reconhece o Governo no Programa de Estabilização Económica e Social que no sábado, 6 de junho, foi publicado em Diário da República

Em resposta, uma das medidas integradas no programa prevê a universalização da Escola Digital e aloca 400 milhões de euros à concretização do conceito, para garantir que o acesso e utilização de recursos didáticos e educativos digitais chegam a todos os alunos e docentes. 

A iniciativa prevê várias fases, sendo que a primeira se centrará nas infraestruturas, detalha o Governo, onde caberá a aquisição de computadores, conectividade e licenças de software para as escolas públicas. 

Os outros dois eixos de ação visam a capacitação digital dos docentes, acelerar a desmaterialização de manuais escolares e a produção de novos recursos digitais, refere-se no documento. 

Formação digital é uma prioridade em diferentes segmentos

Na área da formação são alinhadas várias outras medidas no Programa, distribuídas por diferentes iniciativas e franjas da população. A iniciativa Garantia Digital, por exemplo, pretende assegurar que «até 2023 todos os desempregados têm oferta de formação na área digital», refere o documento. 

Para jovens licenciados ou com o 12º ano, o Governo alinha o programa Jovem + Digital, que servirá para fornecer competências em áreas como o comércio eletrónico, programação, aplicações móveis ou webdesign. Os desempregados ou recém-formados à procura do primeiro emprego serão os grandes destinatários desta medida. 


Publicado em:

MobilidadeUncategorized

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados