Partilhe nas Redes Sociais

PUB

5 conselhos para seguir no dia mundial do backup… e sempre

Publicado em 31 Março 2020 | 396 Visualizações

Sabia que o backup tem um dia mundial? É verdade, tem e é hoje, 31 de março. Para o assinalar a data, a Sophos listou cinco recomendações que pretendem ajudar quem está a trabalhar em casa a não sofrer dissabores, porque perdeu ou apagou dados inadvertidamente. Não facilitar é mesmo o mais importante, mas dito por outras palavras, e sem esquecer os detalhes que podem fazer toda a diferença, aqui ficam as recomendações da empresa de segurança.

1. Não veja as cópias de segurança como “algo que se faz em caso de ransomware”

A estabilidade dos sistemas e dos programas que usamos hoje dá-nos tranquilidade e muitas vezes nem nos lembramos que de repente alguma coisa pode correr mal e perdemos informação. Até porque há outros fatores que para isso podem contribuir, como a segurança.

A qualquer momento um ataque de malware, e especialmente de ransomware, sublinha a Sophos, pode comprometer informação e como tal convém não deixar para mais tarde o cuidado de ir fazendo cópias de segurança. Faça-as regularmente.


«Por esta razão, as cópias de segurança são novamente um dos tópicos do momento, especialmente durante a pandemia do coronavírus, em que as equipas de TI não podem estar no escritório e intervir diretamente nos computadores afetados», sublinha a empresa.

2. Não deixe as cópias de segurança onde os criminosos as puderem encontrar


A Sophos também destaca que em muitos dos ataques mais recentes que investigou, os criminosos passaram dias, ou mesmo semanas, a analisar a rede das vítimas antes de levarem a cabo um ataque propriamente dito, que pode ser por exemplo, bloquear o acesso à informação de centenas de computadores em simultâneo com ransomware.

Na sequência destas observações, a empresa conclui que «se as cópias de segurança estão acessíveis online, eles vão encontrá-las e eliminá-las (ou roubá-las e então eliminá-las) como parte do seu ataque» e também lembra que se o ransomware atacar toda a rede, ou um pico de energia estragar o computador que está ligado à unidade de backup, deixa de haver cópia de segurança.

Solução: usar as cópias de segurança online e em tempo real como cópias secundárias e manter também uma cópia real e offline dos ficheiros. Faço-o com frequência e quando acabar desligue o dispositivo de backup ou a conta cloud.

Adicionar autenticação de dois fatores às contas cloud usadas para fazer cópias de segurança é também uma boa política, vai dificultar o acesso por terceiros e evitar o início inadvertido da sessão porque as senhas estão guardadas na cloud.

3. Não crie cópias de segurança que todos podem ler

É boa prática manter uma cópia de segurança externa, numa localização física diferente daquela onde estão os dados originais. Com as limitações dos dias que correm, não é fácil seguir a recomendação.

A alternativa é pôr em prática alternativas e optar por encriptar os dados antes de os retirar do computador ou da rede. Quem usa o Windows tem à disposição o BitLocker. Quem usa Mac pode recorrer ao FileVault e quem utiliza Linux o LUKS e o Cryptsetup, ferramentas que permitem criar discos e partições encriptados.

Existem ainda outras ferramentas gratuitas para o mesmo fim, não integradas com os sistemas operativos.

4. Não ignore a parte de “restauro” do processo

«Lembre-se que não fez um verdadeiro backup, se não o puder restaurar», alerta a Sophos. Para numa aflição não ter problemas com o restauro dos dados, a empresa recomenda que passe algum tempo a compreender o processo.

«Faça testes: perceba quanto tempo demora a ter a cópia de segurança pronta para restauro, quanto tempo demora para extrair todos os conteúdos e quão rápido consegue restaurar apenas um único ficheiro, caso não necessite ou queira tudo o resto», aconselha a Sophos.

5. Não adie para amanhã

Em relação a este ponto há pouco a dizer, mas a verdade é que se não seguir esta recomendação nem precisará das restantes porque os danos são sérios. «A única cópia de segurança da qual se vai arrepender… é a que não fez», sublinha a Sophos.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados