Partilhe nas Redes Sociais

Marionete reforça investimento no mercado português

Publicado em 16 Novembro 2017 por Ntech.news | 1448 Visualizações

A consultora britânica Marionete, que tem um cofundador português, está a dar passos largos para se afirmar no mercado nacional. A empresa abriu em Lisboa no ano passado e especializa-se em Big Data, ciência de dados e DevOps. Embora o mercado britânico tenha sido o foco no primeiro ano de operação, a Marionete está a investir em Portugal com a contratação de consultores e uma parceria com a Cloudera, através da qual se tornou na primeira integradora Cloudera System com o estatuto Silver Partner e a única parceira certificada para dar formação no stack tecnológico da fornecedora.

«Há um interesse notável em Portugal nestas tecnologias e a nossa observação de certas implementações feitas por consultoras portuguesas demonstram o não entendimento dos fundamentos da arquitetura Big Data”» diz à Ntech.news o diretor de tecnologia e cofundador da empresa,  Raul Coutinho Garrido. De acordo com este responsável é «importante que os clientes percebam as dificuldades de implementação de soluções Big Data e tenham os consultores certos de uma empresa que tem arquitetos Big Data com sete anos de experiência comprovada na entrega de soluções no maior mercado europeu de tecnologia».

Neste momento, a consultora tem dez clientes, um dos quais em Portugal, nas áreas financeira, fintech, automóvel, farmacêutica, regulação e jogos. Metade dos projetos está a decorrer no espaço da aprendizagem de máquina, inteligência artificial e outras áreas da ciência de dados, como linguagem computacional, analítica semântica e analítica comportamental.

«O negócio está positivo, com os objetivos atingidos», revela Garrido, sublinhando que a empresa já dá lucros. A consultora mantém o objetivo de que os negócios em território nacional pesem 10% das receitas já no próximo ano.

Para ganhar terreno em Portugal, Garrido indica que a Marionete irá conduzir seminários com parceiros de tecnologia, tais como a Cloudera, e ter sessões de transferência de know-how com as empresas interessadas. Também assinou parcerias com as consultoras Wintrust e Findmore, já que o seu objetivo não é propriamente concorrer com as consultoras portuguesas, uma vez que o Reino Unido é o seu principal mercado.

«Portugal é um país onde as empresas são avessas à mudança tecnológica. Não há ciclos de mudança e transformação de 10-15 anos», diz Garrido. «As empresas comprometem-se com a tecnologia até que falhe». Por exemplo, fidelizam-se a tecnologias de legado como SAP, SAS, Oracle ou mainframe. É por isso que a Marionete introduz Big Data como um complemento a este legado e não como uma substituição, refere o CTO.

Embora não se foque em verticais, a empresa sublinha o sector da saúde como um dos mais importantes no uso de analítica. «As possibilidades e casos de uso são vitais para a medicina preditiva», diz Garrido.

Outra área é a das viagens e hotelaria. A Marionete trabalhou recentemente com uma empresa de viagens online para perceber como é que os clientes escolhem certos pacotes, e a análise concluiu que o maior fator é a imagem. Por isso, as imagens para o mesmo pacote foram modificadas de acordo com as preferências de cada cliente – uma viagem às Maldivas mostrava uma piscina a um cliente e uma praia a outro.

Parceria com a Cloudera

O novo estatuto da Marionete permite-lhes assegurar às empresas clientes que os seus consultores têm qualidade de topo e todas as certificações necessárias. «Sermos os únicos parceiros de formação em Portugal demonstra o compromisso da Marionete de ter consultores de qualidade e requer um avultado investimento em dinheiro, recursos e tempo na formação, bootcamps e exames para poder obter e manter», afirma o CTO.

Por outro lado, Raul Garrido afirma também que este estatuto abre Portugal ao mundo, uma vez que 60% dos formandos vêm de fora para passarem pela formação.


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados