Partilhe nas Redes Sociais

PUB

Dotar a empresa com conhecimento, um poder que equivale a boas tomadas de decisão

Filipe Lima, account manager da CESCE SI

Publicado em 4 Janeiro 2018 | 3324 Visualizações

Nos tempos que correm, uma das principais derivadas e preocupação dos clientes é o critério com os gastos da companhia. Agora, mais do que nunca, não é possível pensar em ferramentas tecnológicas sem olhar para o seu retorno no curto/médio prazo. Com o aumento massivo no investimento em software de apoio à produção e que traz valor às companhias, estas vêem-se numa situação de descontrolo ao nível da gestão de contratos de software e respetivos direitos e deveres.

Tendo em consideração esta ideia e para ir ao encontro destas necessidades sentidas pelos clientes, surgiram no mercado soluções que visam dotar as Empresas de conhecimento. Conhecimento, que neste caso é sinónimo de poder. Poder este que é essencial para se tomar boas decisões e, na era do digital, em que a capacidade de pedidos dos utilizadores é cada vez maior, torna-se fundamental a existência de ferramentas que ajudem a ter um controlo efetivo dos investimentos realizados em software. Falamos, portanto, de SAM, Software Asset Management.

Esta ferramenta funciona como um sistema e/ou como um processo para tomar decisões de aquisição e eliminação de software. É basilar para qualquer negócio, inclui estratégias que identificam e eliminam software não utilizado ou raramente usado, consolida licenças de software ou progride para novos modelos de licenciamento.

Uma oferta de SAM permite que um cliente obtenha uma visão de 360 graus sobre a utilização de software na empresa e possibilita realizar auditorias, ao dia, sobre a sua posição contratual num determinado fabricante de software, sob ou sobre licenciamento (risco ou compliance), evitando que resulte em perdas económicas por ineficiência nesta gestão.

A capacidade de gerir e controlar os softwares de uma empresa – um dos seus ativos mais estratégicos – apresenta-se, assim, nos dias de hoje, como um dos principais fatores diferenciadores da vantagem competitiva.

De acordo com a ITIL, o SAM representa tudo o que uma infraestrutura e os seus processos precisam para terem a capacidade de gerir, controlar e proteger, efetivamente, os ativos de software dentro de uma empresa, em todas as fases do seu ciclo de vida. É, portanto, uma importante ferramenta que ajuda qualquer empresa na otimização e redução de custos, podendo vir a reduzir entre 5% e 35% dos gastos relacionados com as TI, segundo estimativa do Gartner.

Resumindo, o principal fator que leva muitos clientes a adotar processos e ferramentas de SAM prende-se com a necessidade de ter uma consolidação dos seus vários repositórios de informação numa interface de análise rápida que destaca as ineficiências verificadas na exploração atual dos vários licenciamentos do Top 5 de fabricantes de software. Outra componente fundamental prende-se com a otimização que nada mais é que um aconselhamento prático sobre recomendações que a ferramenta dá, sobre estes fabricantes de software, para que o cliente estude outras alternativas de licenciamento que se verificam mais eficientes e económicas, dando-lhe assim poder para tomar a decisão mais acertada para o seu negócio.


Publicado em:

Opinião

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados