Partilhe nas Redes Sociais

A IoT e a computação cognitiva desenham-se em ambientes híbridos

Publicado em 8 Março 2016 | 1246 Visualizações

No estudo Growing up Hybrid: Accelerating digital transformation , a IBM abre um livro de oportunidades que as empresas podem explorar, tendo por base a cloud hibrida. O documento conclui que dois terços das empresas que implementaram clouds híbridas já estão competitivamente mais fortes e aptas para rentabilizar os dados que possuem ou mesmo para criar novos ativos.

«As empresas devem tirar partido de todos os seus recursos para terem sucesso e disponibilizarem serviços e aplicações no modelo as a service, independentemente de terem cloud pública ou privada, ou apenas a infraestrutura de TI tradicional», sublinhou Laura Sanders, IBM GTS general manager, Systems Services.

 

No total a IBM entrevistou 500 empresas utilizadoras de cloud hibrida, de 13 países e 23 indústrias diferentes. Destas, cerca de 26% integra um grupo de lideres na exploração destes ambientes híbridos e admite conseguir gerir o seu ambiente de uma forma integrada, beneficiando de um maior controlo e visibilidade. Assim, 9 em cada 10 executivos garantem que a cloud híbrida é crucial para a sua estratégia de negócio e para o sucesso da empresa, enquanto 8 em cada 10 acreditam que a cloud híbrida ajuda a tornar mais clara a utilização das TI dentro da empresa. Por outro lado, 8 em cada 10 líderes admitem estar a melhorar a segurança e a reduzir o risco com os ambientes híbridos.

Cerca de 85% dos líderes acreditam que os ambientes híbridos promovem uma maior colaboração entre a linha de TI e a linha de Negócio e 85% considera que a abordagem híbrida está a acelerar a transformação digital na sua organização.

Com esta abordagem de cloud híbrida, as empresas podem ser seletivas e escolher quando usar a cloud ou a infraestrutura de TI tradicional, tirando partido das melhores funcionalidades de cada opção, dependendo de requisitos específicos como a velocidade e a flexibilidade dos ambientes híbridos, ou a resiliência, a segurança e as exigências regulamentares da sua infraestrutura.



Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados