Partilhe nas Redes Sociais

A segurança deve andar de mãos dadas com a produtividade

Publicado em 21 Outubro 2015 | 450 Visualizações

As tecnologias móveis, o Big Data, a analítica, a cloud computing, as redes sociais são apenas a ponta do iceberg quando se fala em evolução tecnológica. A inovação da

indústria de TI está a revolucionar a forma como as organizações a nível mundial disponibilizam serviços de TI aos seus utilizadores, bem como o modo de trabalhar dos utilizadores. A mobilidade é a face mais visível desta transformação e Portugal também já assiste à mudança.

 

No ano passado, e de acordo com estimativas da IDC Portugal, o número de trabalhadores móveis no território nacional ultrapassava dois milhões de pessoas, equivalente a 48% da população ativa em Portugal. As perspectivas de crescimento acompanham a realidade internacional. Assim, em 2018, o número de colaboradores móveis no território nacional deverá ser superior a 2,8 milhões de pessoas, o que corresponde a uma taxa de crescimento anual média de 6,7% neste período. E, esta realidade representa cerca de 64% da população ativa no território nacional.

 

A IDC prevê que em 2020 sejam vendidos quase 5,5 milhões de equipamentos móveis de computação em Portugal, dos quais 3,8 milhões smartphones, 1,3 milhões tablets e 363 mil híbridos (tablets e portáteis), o que corresponde a um crescimento anual médio composto de 7% entre 2015 e 2020. No caso concreto do mercado empresarial, a IDC prevê que em 2020 sejam vendidos quase 1,3 milhões de equipamentos móveis de computação em Portugal, o que corresponde a um crescimento anual médio composto de 12,9% entre 2015 e 2020.

 

O facto é que hoje, cada vez mais tarefas podem ser desenvolvidas fora do local de trabalho, com todos os ganhos de produtividade dai acrescidos. Conceitos como o BYOD (Bring Your Own Device) ou o CYOD (Choose Your Own Device) invadem o mercado e as empresas, muitas delas ainda muito zelosas em relação ao acesso e à utilização da sua informação, à adoção de aplicações móveis não autorizadas internamente.  Os perigos são muitos e o malware e outras ameaças do género estão ao virar de qualquer browser.

 

 

Neste contexto de mobilidade, a gestão da segurança é uma condição essencial para que todas as transacções possam acontecer com um mínimo índice de risco. Mas para que isso aconteça, os departamentos de TI terão de ser capazes de criar e gerir um ecossistema de segurança que sustente o ambiente de trabalho móvel que garanta a integridade dos dados. É fundamental controlar.

 

O primeiro passo que as empresas devem dar é definirem a estratégia de mobilidade. Antes de implementar soluções de mobilidade corporativa, as organizações devem assegurar que a estratégia foi desenhada e os riscos potenciais foram endereçados. Estrategicamente, as organizações necessitam de entender os perfis de utilizadores e desenhar roteiros de equipamentos e soluções que assegurem benefícios de negócio tangíveis. A segurança é um ponto crucial nesta estratégia. Uma solução de Enterprise Mobility Management (EMM) centralizada deve constar nos pontos definidos na estratégia das empresas. No mercado existem várias opções, mas existem pontos que os gestores não devem descurar na hora de escolher.

 

Uma solução de EMM deve por isso ter cinco caraterísticas-chave:

 

Gestão de dispositivos (MDM) – A capacidade do Departamento de TI de inutilizar dispositivos perdidos ou roubados deve ser valorizada. As empresas devem por isso optar por soluções que tenham amplas coberturas em termos de plataformas e que lhes permitam gerir sem limitações ambientes de multi-dispositivo e BYOD.

 

Gestão aplicacional (politicas de apps e lojas de aplicações) – A distribuição de apps controlada deve ser pensada. Esta gestão inclui a aplicação de políticas a apps de forma individual, eliminando assim a necessidade do controlo do dispositivo. Neste domínio a existência de  abordagens como Software Development Kit (SDK) permitem que os programadores parametrizem as aplicações já com feauture sde segurança, como autenticação , deteção remota de dispositivos, politicas de prevenção de perda de dados, certificados, entre outras. Uma loja de aplicações própria pode também melhorar a produtividade móvel do utilizador, facilitando o acesso às apps pelos utilizadores registados e de acordo com o seu perfil.

 

 Proteção contra ameaças –A protecção da propriedade intelectual é uma obrigatoriedade e deve estar prevista de uma forma centralizada,  inclusive a distribuição da app de segurança aos dispositivos móveis. Os scans remotos, a identificação de ameaças e a implementação de políticas de conformidade baseadas no perfil de utilização do dispositivo são funcionalidades que devem estar disponíveis.

 

Autenticação de acessos – O acesso e a gestão dos controlos de autenticação através de políticas de password, reconhecimento biométrico facial ou de voz, entre outras deve estar assegurado. As melhores suites de EMM permitem agrupar os utilizadores –por departamento por exemplo, e garantir que cada grupo só acede àquilo de que necessita. Isto permite definir o que cada utilizador pode fazer com o seu dispositivo na rede e em que circunstâncias.

 

Gestão de conteúdo –  A solução de EMM deve permitir o acesso dos utilizadores aos dados de uma forma segura e gerível.  Anexos de email, conteúdos descarregados e informação acedida nas bases de dados deve estar acessível remotamente de forma segura. A gestão de conteúdos

também inclui prevenção de perda de dados. As melhores soluções oferecem armazenamento encriptado no dispositivo, opções de autenticação, inibição de acessos de apps não autorizadas aos conteúdos corporativos, entre outras.

 

Numa altura em que o o download de apps é a Terceira actividade mais popular entre os utilizadores móveis, logo atrás das visualizações do Facebook e do YouTube, as empresas devem assegurar os seus activos mais valiosos, os dados. Com a escolha da solução de Enterprise Mobility Management mais adequada em mente, a Symantec Mobility Suite destaca-se como uma das opções a ter em conta. Esta solução integra as funcionalidades de MDM, gestão aplicacional, gestão do conteúdo e proteção contra ameaças numa única consola. A suite adiciona às aplicações móveis uma camada de segurança e de gestão que garante controlo das apps corporativas e dos dados ao nível da autenticação, encriptação, conectividade e partilha de informação.

 

A solução inclui feautures como o Symantec Work Hub, através do qual é possível

criar uma app store para a empresa, para a distribuição de aplicações próprias ou de terceiros; a Symantec Mobility: Workforce Apps, para que o departamento de TI disponibilize ferramentas de produtividade seguras; o Symantec Work Mail, uma aplicação de email baseada em Microsoft Exchange ActiveSync, para sincronização e armazenamento do e-mail, do calendário e dos contactos, entre outras aplicações; um browser seguro (Work Web) e o Symantec Work File (editor e gestor de texto seguro), que podem ser geridos centralmente. Por último destaca-se também o  Symantec Sealed Program, que permite às empresas utilizar apps  de terceiros com garantias de segurança.

 

*A Symantec Mobility Suite é distribuída em Portugal pela Arrow


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados