Partilhe nas Redes Sociais

Academia Truewind procura talentos em TI

Publicado em 21 Abril 2017 por Ana Rita Guerra | 1914 Visualizações

A consultora Truewind, especializada em gestão de equipas ágeis de software, organiza em maio uma academia de formação para consultores de TI. É a quarta edição anual da Truewind Spring Academy, que irá promover a especialização em tecnologia OutSystems. A consultora procura recém-licenciados ou finalistas das áreas de Economia, Engenharia, Gestão ou outro curso com forte componente matemática.

A formação vai durar cinco semanas e o objetivo é contratar dez novos consultores para os quadros da empresa, que neste momento tem cerca de 100 colaboradores. O treino será depois complementado com experiência em tempo real, sendo que a Truewind pretende aumentar a sua equipa OutSystems em 50% até final do ano.

«São cada vez mais as empresas portuguesas a adotar esta plataforma de desenvolvimento low- code, e a Truewind, sendo uma das principais parceiras OutSystems, necessita de capacidade interna de desenvolvimento de novos projetos nacionais e internacionais», justifica o diretor geral da Truewind, Helder Faria. «Há uma crescente procura de profissionais OutSystems no mercado português», reitera.

De facto, a tecnológica portuguesa está a expandir-se e recebeu recentemente um novo financiamento de 55 milhões de dólares. «A OutSystems está a crescer exponencialmente em mercados sofisticados como o Benelux, o Reino Unido ou os Estados Unidos, abrindo novas portas para projetos internacionais na Truewind», confirma o responsável.

No entanto, a escassez de profissionais OutSystems acaba por ter um impacto negativo no crescimento da própria Truewind, diz o diretor-geral, «dado que só conseguimos realizar mais projetos se aumentarmos a nossa equipa.»

Os interessados poderão inscrever-se na quarta edição da academia até 23 de abril, próximo domingo, sendo que os custos são suportados pela própria consultora. No final da formação, diz a Truewind, os alunos selecionados ter-se-ão destacado na resolução de problemas, no raciocínio lógico, na sua capacidade analítica e no potencial de orientação para resultados.

«Com as academias, a empresa consegue diversificar os seus perfis profissionais, e contratar recém-licenciados – muitos no seu primeiro emprego -, oferecendo-lhes a oportunidade de seguirem uma carreira nas TI e de se especializarem numa tecnologia muito valorizada pelo mercado», sublinha Hélder Faria.

A academia, diz a empresa, é uma forma eficaz de captar talento jovem, vindo de diferentes áreas de formação com componente matemática, e de especializar esses recursos na prestação de serviços de consultoria.


Publicado em:

Talento

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados