Partilhe nas Redes Sociais

PUB

Accenture: Inteligência artificial vai aumentar rentabilidade de várias indústrias

Publicado em 20 Julho 2017 por Ntech.news - Rui da Rocha Ferreira | 812 Visualizações

A inteligência artificial (AI na sigla em inglês) é sem sombra de dúvidas um dos temas tecnológicos mais badalados de 2017. São várias as empresas que estão a apostar no desenvolvimento de soluções de AI e são cada vez mais as empresas que pretendem tirar partido destas criações.

Para muitos o tema da inteligência artificial é ainda apenas uma promessa, mas já há projetos que mostram ser possível aumentar os níveis de eficiência operacionais através da aposta na inteligência artificial – temos por exemplo o caso da IBM e do Watson.

A questão que muitos colocam é se esta será uma transformação transversal ou se será uma aposta tecnológica que só vai dar frutos em áreas muito específicas. Se tivermos em conta o mais recente estudo da Accenture, então é de esperar que os sistemas de inteligência artificial venham de facto mudar o mundo do trabalho.

Segundo a investigação da consultora, as empresas que implementarem soluções de AI com sucesso poderão aumentar a sua rentabilidade em 38% até 2035. Além disso, os efeitos positivos da inteligência artificial vão afetar várias indústrias, tendo a Accenture identificado o crescimento que será registado em 16 sectores de negócio.

Accenture AI

Mesmo em áreas onde é a força de trabalho humana aquela que mais conta, a inteligência artificial vai ter um forte impacto, com a Accenture a estimar ganhos na eficiência de produção que podem chegar aos 60%.

Se os resultados são assim tão promissores, então o que pode ser feito para uma correta implementação das soluções de AI? O estudo indica oito propostas que os decisores de negócio devem ter em consideração.

Por exemplo, é necessário que as empresas comecem já a delinear as suas estratégias neste segmento e que as chefias fiquem a par dos trabalhos e investimentos que serão necessários nesta área. Outro conselho dado é a criação de uma cultura de inteligência artificial ‘aberta’, ou seja, as empresas devem ser transparentes na forma como implementam sistemas automatizados junto das forças de trabalho humanas.

«Ao otimizar processos com automação inteligente, aumentar o trabalho humano e o capital físico e impulsionar inovações, a inteligência artificial pode gerar uma expressiva e duradoura rentabilidade e crescimento económico», comenta em comunicado o vice-presidente da Accenture Portugal, Nuno Pignatelli.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados