Partilhe nas Redes Sociais

Ataques a dispositivos IoT em empresas disparam. Europa é região mais afetada  

Publicado em 17 Abril 2023 | 225 Visualizações

Desde o início do ano e até fevereiro, o número médio semanal de ataques a dispositivos IoT, por organização, aumentou 41%, face ao mesmo período do ano passado. Os dados compilados pela CheckPoint também mostram que, em média, todas as semanas 54% das empresas sofrem de tentativas de ataques informáticos contra dispositivos IoT, mais do que em 2022 (41%) e muito mais que em 2021, quando estes episódios afetaram três vezes menos. Em números absolutos, os dados mostram que cada organização sofreu uma média de 60 ataques deste tipo por semanas, nos dois primeiros meses do ano. 

As organizações europeias são as mais visadas por este tipo de ameaça (as empresas recebem uma média semanal de 70 ataques por organizações), seguem-se os dispositivos empresariais em organizações na  Ásia-Pacífico e na América Latina.

«Um fator que contribui para este aumento é a rápida transformação digital que ocorreu em vários setores, tais como a educação e os cuidados de saúde, durante a pandemia», sublinha a empresa de segurança. Esta transformação, forçada pela necessidade de manter os negócios a operar num contexto completamente diferente, fez-se em muitos casos sem atender às devidas medidas de segurança e deixando ativas vulnerabilidades.

Como lembra a CheckPoint, os criminosos sabem disto e tiram partido das vulnerabilidades de dispositivos não controlados, como câmaras e impressoras, que se tornam na porta de entrada nas organizações e nas suas redes. 

Os dispositivos IoT mais atacados vão desde routers a câmaras IP, passando por DVRs (gravadores de vídeo digital) e NVRs (gravadores de vídeo em rede), impressoras e outros. «Dispositivos IoT tais como colunas e câmaras IP tornaram-se cada vez mais comuns em ambientes remotos de trabalho e de aprendizagem, proporcionando aos cibercriminosos uma riqueza de potenciais pontos de entrada», sublinha a CheckPoint.

Por setores, a educação e a investigação serão neste momento aqueles onde este tipo de ataques mais cresceu, com 131 ataques semanais por organização, que é mais do dobro da média global e traduz um aumento de 34%, face ao ano anterior. No entanto, e como mostra o gráfico, o problema é transversal a vários sectores. 


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados