Partilhe nas Redes Sociais

BI4ALL: próxima paragem Madrid

José Oliveira, CEO

Publicado em 18 Setembro 2018 por Cristina A. Ferreira - Ntech.news | 902 Visualizações

A Bi4all acaba de anunciar a abertura de um novo escritório no Porto, mas os planos de expansão da empresa portuguesa, que este ano pretende ultrapassar novamente as metas financeiras, continuam. O próximo passo é abrir também um escritório em Madrid, adiantou José Oliveira ao Ntech.news, em entrevista.

O CEO também falou do posicionamento da empresa, principais mercados e da relevância do centro de nearshore localizado em Lisboa para o negócio, que em 2018 já será maioritariamente impulsionado pelas receitas internacionais.

Ntech.news: A Bi4all acaba de anunciar a abertura de um novo escritório na região do Porto. Há algum tempo que vem falando no interesse em ter também uma representação física em Espanha. O que ainda podemos esperar para este ano, em termos de expansão geográfica das vossas atividades?

José Oliveira: Estamos neste momento na pesquisa de condições e recursos para abrir em Espanha, sendo que possivelmente será localizado em Madrid. Ainda não conseguimos avançar com datas, mas estrategicamente o escritório em Espanha terá o seu cordão umbilical ligado ao Centro de Lisboa.

 

Como tem evoluído a atividade do centro nearshore que apoia a vossa atividade?

J.O.: Desenvolvemos e apostamos muito na nossa abordagem Nearshore, no centro. Cada cliente tem uma zona dedicada à sua empresa. O que pretendemos é que o cliente sinta que dentro da Bi4all existe uma parte da sua própria empresa. Na Bi4all somos mais do que fornecedores das principais soluções de software de Analytics e Big Data. Aqui trabalhamos em estreita ligação com os nossos clientes para compreender os seus objetivos e desenvolver soluções customizadas, fornecendo insights, suporte e a experiência que os ajuda a desenvolver e agilizar o seu negócio.

Assim, em 2013, criamos um conceito de um Centro de Nearshore, onde é criada toda uma estrutura como se fossem dependências de empresas multinacionais e fazemos todo o trabalho relacionado com a nossa oferta de serviços a partir dos nossos escritórios em Lisboa.

 

Quantas pessoas tem este centro, com que países trabalha e que competências mais se destacam?

J.O.: Ao nível dos colaboradores, temos, atualmente, cerca de 100 colaboradores a trabalhar no nosso centro. Trabalhamos com os melhores talentos e todos os nossos consultores são certificados constantemente nas principais tecnologias. Temos especialistas em Analytics, Análise Preditiva, Big Data, Cloud Analytics, Corporate Performance Management, Dashboards e Scorecards, Gestão de Risco e Compliance, Mobile, Planeamento e Orçamentação, Master Data Management e Software Engineering

Trabalhamos também com grandes organizações a nível mundial e cada cliente que trabalha connosco tem níveis de serviços exigentes, sendo que prestamos serviços de consultoria na área de Analytics e Big Data.

Relativamente aos clientes, trabalhamos atualmente para cerca de 10 clientes. O principal mercado é o de EMEA (Europa, Ásia e Médio Oriente). No entanto, temos grupos económicos que atuam a nível mundial.

 

Tem sido fácil encontrar os recursos necessários para fazer crescer o negócio em Portugal?

J.O.: Apesar da crescente competitividade do mercado onde operamos, o facto de sermos especialista e líderes na nossa área ajuda-nos bastante a atrair talento. Reter os nossos talentos tem sido um desafio bem-sucedido. Contudo, são claras as dificuldades em encontrar pessoas qualificadas nestas áreas, dado que a área de Analytics é uma das áreas com maior potencial de crescimento e procura no mercado nacional por parte de empresas.

A equipa da Bi4all é composta por profissionais altamente qualificados e com vasta experiência no domínio tecnológico. Reter os melhores talentos, constantemente assediados por empresas de maior dimensão, só é possível através de uma cultura muito orientada para as pessoas, promovendo o ambiente familiar e a proximidade, mas dando-lhes também o conhecimento e as melhores ferramentas para fazerem o seu trabalho. As contratações estão a ser feitas diretamente em Portugal, a qualidade do ensino e dos profissionais da área é já reconhecida globalmente por grandes empresas, que competem no mercado internacional.

 

Que balanço faz da experiência com a vossa Talent Academy e que planos de continuidade têm para esta academia de formação para recém-licenciados?

J.O.: A Bi4all considera importante apostar na integração de recém-licenciados no mercado de trabalho e por isso criou o programa “Talent Academy”. Um programa de formação enquadrado no processo de integração da empresa. A primeira edição ocorreu em setembro de 2015, sendo que temos vindo a repetir todos os anos. Este programa teve como principal intuito oferecer aos formandos a possibilidade de desenvolver conhecimentos em Business Intelligence, através da criação de competências técnicas nas metodologias e ferramentas utilizadas pela empresa.

Assim, os participantes receberam formação nas diferentes tecnologias que trabalhamos, enquanto ferramentas que definem e suportam o negócio da Bi4all. Paralelamente, a empresa pretende também a estimular o pensamento analítico com base em diferentes lógicas de negócio, preparando assim os participantes para uma entrada sustentada no mercado de trabalho.

No início de julho teve início a edição deste ano, pois consideramos que é essencial este tipo de iniciativas, quer para nós quer para os jovens que acabam de se licenciar. É nosso objetivo, através da academia, colmatar a diferença que existe entre as universidades e o mercado de trabalho. A Talent Academy terminou no final de agosto e com grande sucesso e neste momento os 11 participantes da Academia estão já em projetos na Bi4all.

 

Em 2017, os resultados da Bi4all atingiram números record. Quais as perspetivas para 2018, a pouco mais de um trimestre do final do ano?

J.O.: O ano de 2017 foi, claramente, o ano de crescimento assumindo-se como um marco importante na história da Bi4all, quer pelo nível de desempenho atingido quer pela qualidade do trabalho efetuado, mas também pelo crescimento sustentado da equipa. Reconhecemos que o sucesso da Bi4all em 2017 foi inerente ao compromisso de toda equipa, na medida em que o seu empenho se reflete numa taxa de satisfação dos nossos clientes, bem como na distinção por diversas entidades.

Para 2018, os nossos objetivos são continuar a crescer e a evoluir junto dos nosso clientes, em projetos e em equipa, de forma a alcançar um volume de negócios de 12 milhões de euros e superar os objetivos a que nos tínhamos proposto. Queremos ser e continuar a ser reconhecidos como o parceiro de confiança para os nossos clientes, nacionais e internacionais.

 

Os mercados internacionais representaram quase metade da vossa faturação em 2017. Como está essa proporção em 2018 e quais são os principais destaques, em termos de geografias e projetos?

J.O.: Este ano o volume de negócio do Centro de Nearshore irá representar mais de 50% do volume de faturação espectável para este ano. O principal mercado onde atuamos é o de EMEA, no entanto temos como clientes organizações que atuam a nível mundial.

Atuamos nos diferentes setores de mercado, no entanto podemos destacar maior peso de clientes entre os setores Farmacêutico, Banca, Seguros, Telco e Media e Transportes.


Publicado em:

Na Primeira Pessoa

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados