Partilhe nas Redes Sociais

PUB

BI4ALL quer crescer mais e identifica oportunidades internacionais

Publicado em 13 Abril 2018 por Ntech.news - Luísa Dâmaso | 249 Visualizações

Os bons desempenhos alcançados pela BI4ALL provam que a visão de negócio que José Oliveira, CEO da empresa, materializa na estratégia é acertada. Internacionalização, nearshore e parcerias estratégicas posicionam a BI4ALL numa rota de crescimento na economia global, e também no radar do mercado de aquisições. Este último é lisonjeador, mas José Oliveira diz não o desviar da rota que definiu para a companhia. «Tinha que ser uma proposta indecente», brincou o CEO, durante a conferência de imprensa em que anunciou o volume de negócios alcançado no exercício de 2016.

Com nove milhões de euros contabilizados, 900 mil dos quais resultados líquidos, o gestor referiu que o crescimento do negócio rondou os 28%, em relação aos 7 milhões alcançados em 2016. O mercado internacional tem sido um grande impulsionador deste crescimento, representando já 47% do volume de faturação.  Para 2018, os objetivos passam por superar em 50% o crescimento do negócio internacional e  chegar aos 11 milhões de euros de volume de negócio.

Portugal é um país pequeno e o paradigma do preço ainda está muito presente

O Centro de Nearshore, inaugurado oficialmente em abril de 2017, foi a estratégia encontrada pela BI4ALL para responder às inúmeras oportunidades geradas no mercado internacional de serviços de business intelligence e analítica. «É um negócio que começa a ganhar uma dimensão significativa e é uma aposta estratégica», confirmou José Oliveira.

De acordo com este responsável, Portugal é um país pequeno e o paradigma do preço ainda está muito presente, o que é incompatível com a ideia de valor que este tipo de soluções deve adicionar aos negócios. As ofertas concorrentes encontradas no mercado nacional, diz José Oliveira, são, essencialmente, provenientes de «empresas de bodyshop que não tendo a formação e certificações adequadas acabam por fazer maus projetos».  O CEO admite que poderão ser estas más experiências que depois acabam por gerar resistência do lado dos gestores, que necessitam reunir verbas para voltar a investir em soluções que já deveriam estar rentabilizadas, mas que acabam por ser substituídas devido ao seu mau funcionamento.

Neste cenário de investimentos mal aplicados e onde o preço ainda é quem mais ordena, José Oliveira garante que não tem interesse demorar-se. «Perdemos projetos pelo preço, mas nunca perdemos nenhum por falta de competência», sustenta o gestor.

Continuando a somar referências nos setores farmacêutico, dos transportes, das telecomunicações, da banca e dos seguros e do petróleo, José Oliveira admite que tem havido uma adaptação natural da BI4ALL às necessidades do mercado e à necessidades de soluções mais económicas. «Fizemos atualizações das nossas competência, certificações e parcerias», acrescenta o CEO.

Uma dimensão fundamental para os bons resultados obtidos pela empresa prende-se com a aposta na qualidade e qualificação da equipa, que teve um forte crescimento. A BI4ALL teve um aumento na sua equipa de 14%, do número de colaboradores, tendo fechado o ano de 2017 com um total de 145 colaboradores. É objetivo, para 2018, contratar mais de 30 pessoas.

As áreas de BI e analítica, Big Data são core da atividade para sustentar o crescimento durante este ano. No entanto, numa altura em que o mercado está em contagem decrescente para respeitar condignamente o RGPD, a BI4ALL está a apoiar as empresas com uma nova solução que se propõe a facilitar a conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados. De acordo com José Oliveira, a Data Discovery Tool (DDT) é uma solução «inovadora e 100% focada». O cliente bandeira é o Ministério da Saúde, onde a ferramenta já está a funcionar, mas o CEO garante que a aceitação está a ser positiva em vários quadrantes no mercado, esperando-se o anúncio de novas referências a curto prazo.


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados