Partilhe nas Redes Sociais

Bosch vai usar tecnologia quântica da IBM para acelerar descoberta de materiais “mais limpos” 

Publicado em 9 Novembro 2022 | 561 Visualizações

Computação quântica IBM - investigação

A Bosch anunciou uma parceria com a IBM na área da computação quântica. O acordo vai permitir que a empresa alemã use os recursos de computação da multinacional norte-americana para acelerar processos industriais.

A Bosch pretende assim passar a recorrer à computação quântica nos seus processos de simulação de materiais, para procurar substitutos para os metais preciosos e raros em powertrains neutros em carbono, nos próximos dez anos. Incluem-se aqui a pesquisa de novos materiais para motores elétricos e células de combustível.

A simulação de materiais muito relevantes em aplicações industriais é uma prática à qual a Siemens está habituada. A parceria permitirá, no entanto, que a empresa passe a fazê-lo tirando partido do parque de mais de vinte computadores quânticos avançados disponíveis na cloud da IBM e de futuras gerações destas máquinas. A computação quântica permitirá levar os exercícios de simulação para um patamar que seria impossível concretizar em computadores convencionais, tanto no que se refere ao tempo como à complexidade. 

«À medida que o desempenho do computador quântico melhora num futuro mais distante, pode ser possível tirar conclusões sobre propriedades específicas de novos materiais numa fração do tempo que seria necessário em computadores convencionais», explica a Bosch. 

A parceria também prevê trabalho de pesquisa conjunto em algoritmos quânticos, entre especialistas da Bosch e da IBM, para explorar casos de uso interessantes. «Partilhamos a nossa experiência na simulação de materiais para áreas de aplicação muito específicas com a IBM e, em troca, obtemos insights mais profundos sobre o poder e a aplicabilidade da computação quântica, incluindo hardware».

A nova parceria Bosch / IBM foi anunciada durante o Bosch Connected World 2022, evento onde a empresa alemã também sublinhou que até 2025 quer investir 10 mil milhões de euros em digitalização e conectividade. Dois terços desse valor estão destinados ao desenvolvimento e expansão de novas tecnologias na área da sustentabilidade, mobilidade e Indústria 4.0. 


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados