Partilhe nas Redes Sociais

Ciberataques a empresas portuguesas aumentaram 81% no último ano

Publicado em 10 Janeiro 2022 | 43 Visualizações

WPA2 Wi-Fi

Os dados são da Check Point. Entre 2020 e 2021, os ciberataques a empresas portuguesas aumentaram 81% e os sectores mais afetados foram a Educação, Saúde e Administração Pública/Setor Militar. 

Os mesmos números mostram que cada empresa foi atacada, em média, 881 vezes por semana, número que traduz o crescimento referido.  O maior crescimento no número de ataques registou-se nas utilities, com o número de incidências quase a quadruplicar ao longo do ano – mais 371%. 

Dezembro foi o mês mais negro do ano em termos de ciberatques, a nível global, com a vulnerabilidade presente no Log4J a fazer disparar o número médio de ciberataques por semana e por empresa para os 925. 

Os dados apurados pela Check Point Research mostram que o crescimento do número médio de ataques a empresas portuguesas foi superior ao registado a nível global, que se situou nos 50%. 

Indicam ainda que, ao longo do ano, África foi o continente alvo de mais ataques, mas foi na Europa que se registou o maior crescimento de incidências. O número de ataques na região disparou em 68%. 

Comentando os números apurados, Omer Dembinsky, Data Research Manager da Check Point Software, diz que «o que é mais alarmante é o facto de estarmos a ver algumas indústrias fulcrais para a sociedade subir cada vez mais na lista dos mais atacados. A educação, os serviços de administração pública e o setor da saúde constam do top 5 de setores mais visados em todo o mundo». O responsável admite ainda que, em 2022, os números vão continuar a aumentar. 


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados