Partilhe nas Redes Sociais

Computação quântica vai acelerar investigação da Moderna em vacinas de RNA mensageiro 

Publicado em 26 Abril 2023 | 301 Visualizações

As vacinas de mRNA ou RNA mensageiro ficaram conhecidas durante a Covid-19 como uma das principais armas no combate à pandemia. A Moderna, uma das empresas de biotecnologia pioneira em terapias e vacinas de mRNA, anuncia agora um acordo com a IBM para explorar tecnologias de próxima geração, como a computação quântica e inteligência artificial, para avançar e acelerar a investigação e a ciência do mRNA.

Os cientistas da Moderna vão usar a tecnologia quântica para tentar resolver problemas que os computadores clássicos não conseguiam resolver, tirando partido do potencial de aplicação de abordagens quânticas para responder aos desafios científicos da Moderna.

Neste âmbito, a Moderna vai participar no programa IBM Quantum Accelerator e na IBM Quantum Network. Nos termos do acordo, a IBM vai disponibilizar acesso a sistemas de computação quântica, bem como a especialistas que possam ajudar a Moderna a explorar casos de uso de ciências da vida que sejam inovadores e potenciados por tecnologias quânticas.

Os cientistas da Moderna e da IBM irão aplicar o MoLFormer, um modelo fundacional de IA que pode ajudar a prever as propriedades de uma molécula e a entender as características de potenciais medicamentos mRNA. 

Com isto, a Moderna quer encontrar uma nova via para otimizar as nanopartículas lipídicas, que encapsulam e protegem o mRNA à medida que este viaja pelo corpo, e o mRNA, que atua como instruções para as células a fim de combater a doença, explica um comunicado de imprensa. Da combinação de descobertas de ponta com IA generativa pretende-se gerar medicamentos mRNA com segurança e desempenho elevados.

«Estamos entusiasmados em estabelecer uma parceria com a IBM a fim de desenvolver novos modelos de IA para avançar com a ciência do mRNA, para nos prepararmos  para a era da computação quântica e para ter o nosso negócio pronto para estas tecnologias revolucionárias», adianta Stéphane Bancel, CEO da Moderna.

«Procuramos alcançar avanços disruptivos através da computação quântica, por isso estamos agora a investir na construção de uma força de trabalho preparada para a computação quântica, de forma a estarmos preparados para tirar o máximo partido da potencialidade desta tecnologia», acrescenta o responsável.


Publicado em:

Projetos

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados