Partilhe nas Redes Sociais

É preciso manter os unicórnios na Europa

Publicado em 8 Novembro 2016 | 550 Visualizações

A Comissão Europeia está à procura investidores privados que estejam disponíveis para reforçar fundo de apoio para startups europeias que procuram um empurrão na sua escalada de crescimento. Neste grupo de empresas incluem-se as denominadas startups unicórnio, ou seja, as que apresentam um elevado potencial de crescimento e cuja avaliação já anda na ordem dos mil milhões de euros.

A iniciativa foi anunciada na Web Summit pelo comissário europeu com a pasta de inovação e investigação, Carlos Moedas, que garantiu ser este o caminho a seguir para evitar que as empresas abandonem o solo europeu porque não conseguem encontrar as alternativas de financiamento à medida das suas necessidades.

O primeiro passo já está dado, com a Comissão a anunciar o financiamento de 25% (400 milhões de euros) de um fundo que com o apoio de investidores poderá chegar aos 1,6 mil milhões de euros, e desta forma dar razões para ficar às startups que até aqui rumavam a mercados com oportunidades de financiamento mais atrativas, como os EUA. O Comissário Europeu admitiu que na europa há capacidades de inovação e de criar empresas, mas o problema é que quando elas crescem não há a capacidade de as ajudar, o que as leva a sair do circuito europeu à procura de apoios maiores ou porque são compradas por investidores fora da Europa. «Não temos fundos de dimensão para investir nesse crescimento», reiterou Carlos Moedas.

A ideia passa então por constituir este fundo superior a mais de mil milhões de euros que possa ter a capacidade para investir em montantes mais elevados. «Analisámos os fundos atuais e estes em média são de 60 milhões de euros, o que é pouco, ou seja, vai procurar investir em várias empresas, um milhão, dois milhões, mas se uma empresa precisar de um investimento de 50 ou 60 milhões de euros como faz?», sustentou o Comissário Europeu.

Com uma dimensão de pelo menos mil milhões este fundo vai ter capacidade de investir mais e em maior quantidade para que as empresas possam ter alternativa na Europa.

Até 31 de Janeiro de 2017 os investidores interessados em assegurar a gestão ou complementar este fundo poderão submeter as suas propostas aqui e assim garantir os restante 75% da capitalização deste fundo pan-europeu, que tem a ambição de criar um ambiente de crescimento para startups com oportunidades iguais nos 28 países e não só num pequeno grupo. Uma vez escolhido o gestor, será dado andamento à constituição do fundo que se insere na estratégia da Comissão até 2020.

 


Publicado em:

Startups

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados