Partilhe nas Redes Sociais

Empresas portuguesas correm HANA

Publicado em 15 Março 2016 | 1620 Visualizações

O Banco de Portugal, os CTT, a Universidade de Lisboa, a Cork Supply Portugal, a Generg, a PLMJ, a Symington e a Vinalda são apenas alguns dos 85 clientes nacionais que correm SAP HANA. 2015 foi o ano de desenvolvimento de SAP HANA, um fato que sustentou o lançamento da business suite SAP S/4 HANA em Portugal e que se consubstancia aos fatores de competitividade para gerar novas oportunidades de negócio para as empresas.

De acordo com Rui Gaspar, diretor de base de dados, tecnologia e analytics da SAP Portugal, as restrições da business suite tradicional em ambiente HANA pediam que se criasse uma alternativa tecnológica que enquadrasse funcionalmente todas as áreas das organizações sem restrições de performance e eficiência dos processos, e conduzisse as empresas no processo de transformação digital que se impõe. Essa alternativa está a ser bem-recebida pelo mercado, não só pela base instalada, mas também pelos clientes novos que chegam à SAP.

Desde fevereiro de 2015, altura em que chegou ao mercado nacional a primeira release que englobava unicamente os processos financeiros, a SAP conseguiu chamar ao S/4 HANA cerca de 40 clientes nacionais. A SAP Portugal registava no final de 2015, cerca de 85 clientes SAP HANA. «Os nossos clientes estão licenciados para S/4 HANA, mas cada um decide quando é o momento indicado para avançar com a migração», explica Rui Gaspar.

De acordo com este responsável, a evolução dos clientes para o novo S/4 HANA é natural e começa, regra geral pela migração técnica, estendendo-se posteriormente às áreas mais funcionais. A migração tecnológica é segundo o diretor de base de dados, tecnologia e analytics da SAP Portugal, a que apresenta menores riscos para as empresas, facilitando o salto qualitativo funcional que se segue. É este o caminho que os atuais clientes SAP estão a trilhar para conduzir a transformação digital a bom porto. Quanto aos novos clientes, na sua maioria nativos digitais, a migração faz-se por inteiro.

 O cliente, os colaboradores, os fornecedores e o IoT são os elementos que integram a fórmula de valor do S/4 HANA, um valor que Rui Gaspar diz estar assente num sem número de oportunidades que podem ser exploradas pelas empresas. Esta suite cobre os processos de negócio de 25 setores de atividade e de todas as áreas funcionais das organizações, nomeadamente na área financeira, de vendas, serviços, marketing, comércio eletrónico, compras, produção, logística e de recursos humanos.

Questionado quanto às reticencias dos gestores nacionais em relação aos processos de mudança, o especialista diz que há ainda uma questão de maturidade a ultrapassar que embora se vá esbatendo com a competitividade, ainda atrasa a evolução do mercado. No entanto as novas exigências da economia digital estão a ditar novas regras à modernização e a abrir portas às principais tendências tecnológicas, como o IoT.

No sentido de acompanhar estes contextos, a SAP tem disponível o HANA IoT que permite às empresas utilizar dados de dispositivos integrados, converter dados em informação em tempo real e retirar valor desta informação e partilha-la através da cadeia de valor otimizando o conhecimento e potenciado a criação de novos modelos de negócio.

 

SAP HANA em Portugal

 

85 clientes correm SAP HANA

50% Grandes empresas

50% PME

40 clientes já instalaram SAP S/4 HANA

 

 O Universo global HANA

 

9000 correm SAP HANA

2700 já instalaram SAP S/4 HANA

1310 clientes usam SAP HANA One

6700 profissionais de parceiros treinados em SAP S/4 HANA

1100 revendedores SAP S/4 HANA


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados