Partilhe nas Redes Sociais

Fundo português tem 46 M€ para investir em startups locais

Publicado em 14 Janeiro 2019 por Cristina A. Ferreira - Ntech.news | 524 Visualizações

Três nomes de peso no panorama nacional de startups são o rosto da Indico Capital Partners, uma sociedade de capital de risco portuguesa que acaba de anunciar o seu primeiro fundo de investimento. Vai servir para financiar startups nacionais com ambições de liderança mundial nas suas áreas de atuação.  

O Indico Capital Partners VC I vai reunir mais de 46 milhões euros para aplicar em startups ibéricas, dando primazia a projetos nacionais. Em cada projeto serão investidos entre 150 mil e cinco milhões de euros, num horizonte temporal a 10 anos. A verba será aplicada ao financiamento de startups tecnológicas em fase de arranque e em áreas bem definidas: SaaS, inteligência artificial, Fintech, cibersegurança, marketplaces e plataformas digitais B2C.

A contribuir para o capital reunido no fundo estão investidores de oito países. Já a equipa de gestão da Indico é composta por três portugueses bem conhecidos neste universo. A liderá-la está Stephan Morais, ex-administrador executivo da Caixa Capital, que durante vários anos foi o rosto do banco e o principal dinamizador de um conjunto de iniciativas da CGD para a área do empreendedorismo. Ricardo Torgal, ex-gestor de investimentos na Caixa Capital e Cristina Fonseca, co-fundadora e acionista da Talkdesk completam a equipa.

A nova VC reúne ainda uma rede internacional de peritos, que vão acompanhar e ajudar as empresas investidas, para além de estar ligada, através de parcerias, a um conjunto fundos de investimento internacionais, que vão abrir caminho a novas rondas de financiamento para as empresas investidas pelo fundo, antecipam os promotores.

O principal investidor da Indico é o Fundo Europeu de Investimento, que é também o maior investidor institucional Europeu nesta classe de ativos, a que se juntam outros 20 investidores institucionais e individuais, que em conjunto asseguram 41 milhões de euros.

Neste grupo estão outros nomes de referência, como a Instituição Financeira de Desenvolvimento, viaPortugalTech (programa criado no âmbito do Portugal 2020), ou a Draper Espirit, um dos maiores fundos de investimento para startups a nível mundial, que na lista de empresas investidas conta com nomes como a popular aplicação Revolut.

Nos próximos 12 meses, o objetivo para o fundo é continuar a angariar capital, mas também passa por acompanhar os primeiros projetos, que já estão selecionados e que serão apresentados em breve, garante a Indico.


Publicado em:

Startups

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados