Partilhe nas Redes Sociais

Gartner revê em baixa investimento mundial em TI

Publicado em 11 Abril 2017 | 185 Visualizações

O mercado de tecnologias de informação vai crescer 1,4% para 3,5 biliões de dólares em 2017, o que representa um abrandamento em relação às expectativas anteriores. De acordo com uma revisão em baixa da Gartner, as previsões de crescimento dos gastos em TI caíram de 2,7% para 1,4%, especialmente devido à valorização do dólar americano.

«O fortalecimento do dólar cortou 67 mil milhões de dólares das nossas previsões para 2017», explica john-David Lovelock, vice presidente de pesquisa da Gartner. Segundo ele, estas flutuações cambiais deverão afetar os ganhos dos fabricantes de TI com sede nos Estados Unidos. Estes dados são importantes, tendo em conta que abrangem toda a indústria, desde software empresarial, serviços de TI e sistemas de centros de dados a dispositivos de hardware e comunicações.

O novo relatório da consultora indica um abrandamento no mercado de servidores, embora o segmento de sistemas de centros de dados tenha saído do terreno negativo para um crescimento de 0,3%. «Estamos a assistir a uma mudança em quem compra servidores e a quem os compram», refere Lovelock. segundo ele, as organizações «estão a deixar de comprar servidores dos fabricantes tradicionais e a alugarem capacidade na nuvem de companhias como Amazon, Google e Microsoft. Isto levou a uma redução nos gastos em servidores, com impacto global no segmento de centros de dados».

Nos serviços de TI, os números também não são animadores. O mercado vai crescer 2,3% em 2017, uma quebra em relação aos 3,6% do ano passado. A Gartner indica que a mudança está relacionada com a antecipação em relação às novas políticas da administração Trump. A consultora refere ainda que espera um «impacto ligeiramente positivo» com o aumento de investimentos da administração Trump em infraestruturas nos próximos anos.

As boas notícias estão no segmento de dispositivos – telemóveis, PC, tablets, impressoras, que vai crescer 1,7% este ano para 645 mil milhões de dólares. É uma recuperação em relação ao recuo de 2,6% em 2016. No caso dos telemóveis, o mercado será impulsionado pelo aumento do preço médio em países emergentes da Ásia e pelo décimo aniversário do iPhone, que deverá ter impacto.

Já os tablets continuam em queda e tanto as vendas de PC como de portáteis manterão a pressão em baixa, apesar da expectativa de ciclos de substituição nas empresas ligados ao Windows 10.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados