Partilhe nas Redes Sociais

Glintt quer crescer no mercado com gmac.2

Publicado em 24 Novembro 2015 | 1652 Visualizações

O mais recente software da Glintt já está disponível. Trata-se do gmac.2, uma solução integrada de gestão em real time de activos.

De engenharia portuguesa, esta solução foi pensada para agilizar e controlar todos os activos de manutenção de uma empresa.

Conforme explicou ao Ntech.news, Luís Andrade Silva, diretor da área de ITConsulting da Glintt, este produto «nasce da evolução natural do mercado cujas soluções disponíveis tinham dificuldade em dar resposta».

Na realidade, «a actualização tecnológica e a consciência dos agentes envolvidos em tomar decisões baseadas em dados fiáveis e on-time», precipitaram «a procura de soluções que além da gestão da manutenção fossem agentes facilitadores de uma gestão integrada de activos», refere ainda o mesmo responsável.

O novo software da Glintt vem também «dar resposta a uma necessidade cada vez mais frequente de dispersão geográfica ou internacionalização, fazendo uso de uma arquitetura tanto tecnológica como de dados que responde, de uma forma correta, às necessidades de gestão global de múltiplas instalações em geografias distintas, usando idiomas e divisas próprias».

Faz também uso de mecanismos que respondem a áreas como energia, segurança, qualidade, metrologia ou exploração, entre outras.
 
Luís Andrade Silva considera que o facto de este ser um produto nacional «é vantajoso da perspetiva da proximidade e flexibilidade que temos em dar resposta às necessidades concretas de cada realidade e cliente».

Embora este não seja um software à medida, o responsável da Glintt adianta que, com o gmac.2, procuram «ter resposta para as necessidades do nosso mercado».
 
A génese destas soluções está muito ligada «à manutenção seja de edifícios ou industrial», sendo que o gmac.2 consegue dar resposta a necessidades de sectores como o de Facility Management, Saúde, Indústria e Edifícios.
 
A solução assenta em tecnologias open source e web, adaptando-se «à infra-estrutura já existente, controlando custos e aproveitando capacidade já instalada», refere Luís Andrade Silva.

Neste caso, a mobilidade «é claramente uma prioridade» sendo que o facto de esta ser «uma solução 100% web permite que os dispositivos suportados sejam virtualmente ilimitados e por maioria de razão, móveis», diz o responsável da Glintt.

O gmac.2 tem ainda uma segunda cara que é uma aplicação nativa para iOS, Android e Windows, «que dá resposta aos dispositivos com ecrãs pequenos que podem ser os smartphones que qualquer um de nós tem no bolso».

Na verdade, não se trata de uma segunda aplicação, «mas apenas uma forma diferente de aceder à mesma plataforma com o objetivo de facilitar ao máximo a interação com os users e, dessa forma, promover a inserção de mais dados e com melhor qualidade», refere o diretor da área de ITConsulting da Glintt.
 
No que a sistemas operativos diz respeito, a Glintt optou por «usar as mais recentes tecnologias HTML5, CSS3 e javascript para ter uma solução móvel que funcionasse no telemóvel que temos no bolso».

Nesse sentido, a aposta resultou numa solução que permite «estar nas principais plataformas móveis como iOS, Android ou Windows Phone, entre outros».
 
Para desenvolver o Ggmac.2, a Glintt pegou «no melhor que o MAC» tinha levando esta solução «para um novo patamar», diz Luís Andrade Silva.

O mesmo responsável avança ainda que existe, claramente, «um capitalizar na experiência anterior, mas, tanto na vertente tecnológica como na vertente funcional, não há quaisquer semelhanças entre as duas soluções».

Trata-se, efetivamente, de uma nova solução, «mais competente, mais flexível, escalável e universal».

Em termos de objectivos de adopção por parte do mercado nacional, a Glintt pretende «ter resposta para as necessidades dos clientes, preparando-os não só para as necessidades de hoje, mas para as de amanhã crescendo com eles».

Nesse sentido, a ambição é «conseguir aumentar a penetração no mercado tanto vertical como horizontalmente», ou seja, «conseguir mostrar valor nos mercados onde já estamos hoje e conquistar novos mercados com o valor acrescentado que propomos entregar», sublinha este responsável.

Quanto a valores, Luís Andrade Silva refere que esta é uma solução que «está a ser construída há dois anos» e, mais do que o investimento, «é importante realçar a aposta que a Glintt fez e faz nesta área».


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados