Partilhe nas Redes Sociais

PUB

Google paga 1,1 mil milhões por parte da equipa de smartphones da HTC

Publicado em 22 Setembro 2017 por Ana Rita Guerra | 145 Visualizações

A Google vai pagar 1,1 mil milhões de dólares à HTC por parte da sua equipa de smartphones, estimando-se que dois mil empregados deixem a empresa asiática e se juntem à gigante de Silicon Valley. É cerca de metade da equipa de investigação e design da divisão móvel da HTC. Esta compra parcial inclui um acordo para o licenciamento não exclusivo de propriedade intelectual da fabricante asiática, segundo revelou o vice presidente de hardware da Google, Rick Osterloh.

«Estes futuros googlers são pessoas incríveis com quem já estávamos a trabalhar de perto na linha de smartphones Pixel, e estamos entusiasmados para ver o que podemos fazer juntos como uma só equipa», escreveu Osterloh no blogue da empresa.

Trata-se de uma aquisição mais de talento que de recursos, mas de qualquer forma mostra como a Google está empenhada em reforçar a sua estratégia de smartphones, numa altura em que o seu sistema operativo Android já domina mais de 80% do mercado.

A HTC foi a primeira parceira da Google quando a fabricante do Android decidiu lançar o seu próprio smartphone, o G1/HTC Dream, e continuou a ser uma das suas favoritas (Nexus One, Nexus 9, Pixel…). «De muitas formas, este acordo atesta a longa história de trabalho de equipa entre a HTC e a Google», reconheceu Osterloh. O executivo, que entrou na Google há um ano, disse que o negócio de hardware da empresa ainda está no início e que o foco é desenvolver capacidades nucleares muito fortes.

 

A HTC perdeu a importância que tinha no mercado e caiu dos tops de principais fabricantes. Ainda assim, a marca pretende continuar a fazer telemóveis. Foi o que disse em comunicado, no qual revelou que já está a preparar o seu próximo topo de gama. A CEO, Cher Wang, referiu que o negócio com a Google permitirá à empresa continuar a investir em inovação tanto nos smartphones como no segmento de realidade virtual, com o Vive.

A compra acontece também seis anos depois de a Google ter adquirido o negócio móvel da Motorola, na altura com os olhos postos no portfólio de patentes da fabricante. Pagou 12,5 mil milhões e três anos depois vendeu-a aos chineses da Lenovo por 2,9 mil milhões.

 

 


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados