Partilhe nas Redes Sociais

PUB

GMV: Innovating solutions in Cybersecurity

Lenovo e TechData fecham novo acordo de distribuição

Publicado em 7 Junho 2017 | 176 Visualizações

A TechData alargou as suas competências como distribuidora da Lenovo em Portugal, através de um novo acordo assinado entre as duas empresas. O reforço do investimento da marca chinesa no mercado nacional reflete-se nesta expansão na parceria, em que a TechData passará a ser distribuidora autorizada do segmento de consumo da Lenovo. Até agora, a TechData distribuía apenas o portfólio empresarial, desde a linha ThinkPad aos datacenters.

«A TechData é um distribuidor pan-europeu e um dos principais para a Lenovo a nível mundial. Em Portugal tinha já toda a oferta no segmento comercial faltando apenas o consumo, situação que contrastava com a maioria dos restantes países», explica Miguel Coelho, country sales manager da Lenovo Portugal. «Para alcançarmos os objetivos de crescimento e a ambição da Lenovo em Portugal sentimos que este seria o momento ideal para fecharmos este parceria», completa o executivo.

A linha de consumo da marca inclui computadores pessoais e aquilo a que a Lenovo chama de «dispositivos inteligentes». Contabilizam-se nesta área os IdeaPad, Legion e tablets orientados para o mercado doméstico.

Do ponto de vista da TechData, a parceria é importante porque dá aos seus parceiros acesso ao portefolio de consumo da segunda maior fabricante de computadores do mundo.  O acordo assenta numa estratégia de suporte à execução do negócio, nomeadamente nos planos logístico, financeiro e técnico de produto.

Luís Pires, division manager da TechData, sublinha que este contrato representa uma oportunidade de consolidar o portefolio, atendendo aos pedidos dos parceiros. «Tínhamos muitos pedidos para os produtos mais visíveis de consumo», indica o responsável.

A Lenovo retira ainda outra vantagem do acordo: a marca passa a ter acesso a toda a base de parceiros TechData, especialmente no mercado de pequenas e médias empresas  e retalho. A subsidiária portuguesa espera que isto represente uma maior disponibilidade de stock para retalhistas e revendedores e um aumento do espetro de clientes. «Desta forma, vemos agora ampliada a nossa capacidade de servir os nossos parceiros e fornecer o que o mercado pede», acrescenta Luis Pires.


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados