Partilhe nas Redes Sociais

PUB

Marketing móvel ganha maior expressão

Publicado em 22 Junho 2017 | 568 Visualizações

Apartir de Portugal a OLAmobile chega aos quatro cantos do mundo, tirando partido de uma localização privilegiada e estratégica que o país assegura nesta indústria. Com escritórios em Lisboa e Guimarães, a empresa de marketing móvel diz que Portugal os coloca no “centro” do mundo, entre o mercado asiático e o americano.

A tecnologia é ferramenta essencial no desenrolar de trabalho para uma organização cujo o negócio é online. Em entrevista Luís Garcia, VP Marketing da OLAmobile explica os caminhos que a empresa já percorreu e traça perspetivas de futuro.

 

Ntech.news – Como é que a OLAmobile chega a Portugal e porquê a escolha do nosso país?

Luís Garcia – A OLAmobile chegou a Portugal em 2012 e o facto de termos escolhido Lisboa para ter o nosso maior escritório é uma decisão estratégica do grupo e uma aposta ganha. Antoine Moreau, CEO da empresa, decidiu abrir um escritório em Lisboa pouco tempo depois de criar a empresa em 2011, pelo facto de em Portugal existir um ecossistema cada vez mais dinâmico, no que toca ao marketing e publicidade online. Para além disso, Portugal tem várias universidades prestigiadas que geram capital humano com excelentes qualificações, com uma postura dinâmica que procura novas oportunidades de crescimento e aprendizagem, e profissionais de outros sectores de atividade com um interesse crescente em entrar no mercado digital. A juntar a isso, Lisboa é uma cidade cosmopolita e é fácil encontrar colaboradores que dominam línguas estrangeiras, algo que é crucial para o nosso negócio visto que temos clientes em todos os continentes. Estas pessoas de várias culturas e áreas de formação podem trazer-nos novos inputs e abordagens que nos permitem ver de uma outra forma o nosso negócio, gerando valor acrescentado.

Qual a importância do mercado português na estratégia global da OLAmobile?

É a partir de Portugal que contactamos com os quatro cantos do mundo, uma vez que o país garante uma localização privilegiada e estratégica nesta indústria. Estamos no “centro” do mundo, entre o mercado asiático e o americano. O fuso horário de Portugal permite darmos suporte a clientes de vários continentes. O nosso dia-a- dia em Portugal começa com contactos na Ásia, e termina com clientes em Los Angeles, ou no México, por exemplo. A partir daqui conseguimos facilmente conciliar todas estas diferenças de fuso horário.

Essa é umas das principais razões pelas quais em Lisboa concentramos a maior parcela de uma equipa multidisciplinar e multicultural: mais de 80 elementos que asseguram os serviços financeiros, vendas e business development, marketing e desenvolvimento de produto, gestão de clientes e gestão de recursos humanos.

Para além disso, Lisboa é uma cidade cosmopolita onde conseguimos recrutar talento com as skills que procuramos, bem como consolidar a construção de uma equipa com fácil capacidade de aprendizagem e adaptação a um mercado em rápido crescimento.

Quais as Vossas principais mais-valias e como se diferenciam no mercado?

A OLAmobile opera na área de mobile marketing e especializou-se em aquisição de clientes e performance marketing, nos modelos de negócio CPA (custo por aquisição) e CPI (custo por instalação), focados na promoção de produtos para dispositivos móveis como aplicações e serviços de conteúdos de entretenimento para telemóveis.

O nosso objetivo é apoiar os anunciantes e distribuidores de conteúdos mobile a divulgar os seus produtos (adquirindo clientes finais) e ajudar os publishers (como websites e app developers) a rentabilizar financeiramente o tráfego gerado nos seus sites e apps mobile em resultado dos produtos promovidos nos seus espaços publicitários.

De que forma a tecnologia suporta a vossa estratégia?

O nosso negócio é online e a tecnologia orienta a nossa estratégia. O nosso principal objetivo é fornecer a melhor user experience aos utilizadores das nossas plataformas e a melhor performance nas campanhas para ambos anunciantes e publishers.

Trabalhamos com os nossos anunciantes no sentido de aumentar a sua base de clientes através da promoção dos seus produtos num mix exclusivo de diferentes tipos de audiência. Como somos uma empresa orientada para resultados e performance, temos de manter o foco na otimização da audiência dos nossos publishers e fazer o melhor uso do nosso algoritmo de otimização de tráfego mobile, no sentido de converter o maior número possível de utilizadores, de uma forma eficiente e que traga valor para todos os envolvidos.

Qual o vosso volume de negócios em Portugal?

Em termos de volume de negócios o mercado português é pequeno (dado o tamanho do próprio mercado). Temos vários clientes em Portugal, mas assumimo-nos como uma empresa exportadora. A OLAmobile conta atualmente com uma rede global de clientes que com mais de 600 anunciantes e de 100.000 mil publishers.

E qual foi o nível de faturação da OLAmobile em 2016?

A nível mundial, fechamos 2016 com um volume de negócios de 35 milhões de euros.

Quais as perspetivas para este ano?

Em 2017, esperamos crescer na ordem dos 50%. Queremos continuar a reinvestir os lucros da empresa de forma a aumentar a nossa presença a nível global, nomeadamente no mercado asiático, que tem mostrado um grande potencial de crescimento.

 

Plataformas de marketing

 

Ao nível do marketing, quais as plataformas tecnológicas mais importantes para o suportar?

Hoje em dia o marketing digital tem vindo a crescer exponencialmente, visto ser utilizado pela maioria das marcas e empresas quer a nível nacional como a nível global. Tendo em conta o marketing digital, e como nos canais online tudo é mensurável em tempo real, há uma exigência crescente da parte dos anunciantes e produtores de conteúdos quanto ao retorno do seu orçamento de comunicação. Os modelo de performance, como CPA, permitem ao anunciante investir de forma mais cautelosa e com menos risco, tendo em conta variáveis como o ARPU (Average Revenue per User) dos utilizadores dos seus serviços ou produtos, por canal de aquisição.

A tecnologia da OLAmobile é desenvolvida pela nossa equipa técnica e pretende responder às necessidades do mercado, funcionando o nosso front-end como uma plataforma de gestão e análise de campanhas publicitárias em tempo real.

Como olham para os media sociais? São, efetivamente, uma mais-valia nesta vossa área?

Sem dúvida. A gestão de comunidades online é uma área vital para um negócio como o da OLAmobile. Hoje em dia, dado o desenvolvimento do mercado dos media sociais, qualquer marca ou empresa consegue fazer chegar mensagens específicas a uma audiência maior e mais distante, aumentando o alcance das suas ações de marketing e consequentemente atingindo um maior sucesso e uma relação mais próxima com os seus clientes.

O importante é que tenhamos uma mente aberta e inovadora, que estejamos atentos às novas oportunidades de comunicação que os medias sociais nos oferecem, ajudando-nos a construir e manter comunidades interessadas na nossa tecnologia e nos nossos serviços.

Qual a mais-valia do escritório de Guimarães e porquê a escolha daquela cidade?

Abrimos o novo escritório em Guimarães ao assinarmos a parceria com a Universidade do Minho, que tem um centro de investigação de referência no âmbito das Tecnologias da Informação, Comunicações e Eletrónica. Esta foi a principal razão pela qual decidimos abrir um novo escritório em Portugal e fora de Lisboa: é um novo passo para nós que nos irá ajudar a desenvolver um novo algoritmo com uma instituição de prestígio que tem uma forte ligação à comunidade e ao mundo real. Precisávamos deste tipo de parceria e encontrámo-la em Portugal, onde abrimos um novo escritório com staff técnico.

Expansão do negócio

Pretendem abrir em outros pontos do país, além de Lisboa e Guimarães?

Temos planos de manter por enquanto dois escritórios em solo nacional (Lisboa e Guimarães), sendo que este ano estamos a aumentar o nosso escritório em Lisboa, mais uma vez.

Em quantos países marcam presença?

Atualmente a OLAmobile tem seis escritórios em cinco países, e uma equipa multidisciplinar e multicultural composta por mais de 100 pessoas de 22 nacionalidades.

Pensam alargar a parceria que têm  com a Universidade do Minho a outras instituições de ensino?

Temos crescido de uma forma orgânica e de momento estamos focados no projeto a desenvolver com a Escola de Engenharia da Universidade do Minho, pelo que não temos planos de curto-prazo para alargar este tipo de projetos com outros parceiros.

O que estão a fazer, na sequência da parceria?

No âmbito desta parceria, estamos a desenvolver um novo algoritmo automático para previsão e otimização de campanhas publicitárias para dispositivos móveis em modelo de subscrição e que permitirá prever, junto de anunciantes, webmasters e criadores de conteúdos, qual o melhor produto ou serviço mobile a mostrar aos consumidores finais.


Publicado em:

Na Primeira Pessoa

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados