Partilhe nas Redes Sociais

Mercado de PC só volta a crescer em 2019

Publicado em 25 Maio 2017 | 696 Visualizações

Com previsões de nova quebra no mercado de computadores pessoais este ano, a consultora IDC revela que este sector só voltará a crescer em 2019. Os principais impulsionadores para essa recuperação serão os portáteis do segmento empresarial e os conversíveis (modelos que se transformam em tablets).

Segundo o mais recente relatório da IDC, as previsões a cinco anos não são muito animadoras: o mercado vai cair a um ritmo anual de 1,4%. Em 2021, vão vender-se 405,2 milhões de computadores pessoais – uma categoria que inclui desktop, portátil, workstation e tablets/conversíveis. São menos 30 milhões de unidades em relação às vendas de 2016, o que denota uma contração acentuada do mercado. Os novos números são já revisões em baixa, especialmente pelo declínio das categorias de tablets. Os conversíveis não têm crescido a um ritmo suficiente para compensar as grandes quebras nos tablets slate, que não parecem ter recuperação à vista.

«Como um grupo coletivo de aparelhos, o mercado de PC vai regressar ao crescimento em 2019, apesar de ser uma margem pequena», adianta a IDC. No primeiro trimestre de 2017 tinha havido uma ligeira recuperação, com um crescimento inferior a 1% que marcou a primeira vez em cinco anos que não houve declínio. Mas foi sol de pouca dura. «A IDC espera que as remessas de PC tradicionais regressem a um declínio lento até que o crescimento regresse em 2019», nota o relatório.

Como esperado, os volumes de vendas na categoria desktop vão continuar a cair, à medida que os consumidores adotam outras plataformas. No entanto, os portáteis irão crescer, com base na performance dos computadores empresariais e a adesão a modelos ultrafinas e conversíveis.

«O refinamento dos designs finos e conversíveis, bem como o aumento dos gastos por parte das empresas, estão a ajudar a estabilizar as remessas globais de PC», nota Loren Loverde, vice presidente do Worldwide Personal Computing Device Tracker da IDC. “Embora as remessas de PC tradicionais caiam no final do período em análise, as substituições de máquinas e um crescimento estável nas regiões emergentes vão manter o segmento empresarial em território positivo», acrescenta.

No que respeita aos tablets conversíveis, a Microsoft e a Apple dominam quase 50% do mercado, aponta o analista, Ryan Reith. A consultora vai acompanhar de perto os movimentos dos OEM que até aqui se focaram no smartphone e estão a aproximar-se do mercado de dispositivos Windows. «Isto está a acontecer tanto com conversíveis como portáteis, e tão recentemente quanto esta semana a Huawei anunciou produtos muito atrativos nas duas categorias».


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados