Partilhe nas Redes Sociais

NextBITT reforça negócio

Publicado em 18 Novembro 2022 | 113 Visualizações

Assumindo-se como uma empresa de capitais 100% nacionais, a NextBITT nasceu em 2015 e abordou desde logo o mercado de gestão dos ativos físicos das empresas. Em entrevista ao Ntech.news, Miguel Salgeiro, founder & partner da NextBITT explica um pouco mais da história da companhia e perspetiva o futuro. A recente ronda de investimento foi um dos temas abordados.

Ntech.news: Como surge a NextBITT?

Miguel Salgueiro: A NextBITT surgiu em 2015 pela mão de três sócios, Miguel Salgueiro, André Calixto e Pedro Morais, na medida em que pretendiam criar um negócio que fosse uma mais-valia para o mundo organizacional e para o setor das tecnologias de informação.

É uma empresa portuguesa de software que fornece uma solução inovadora vocacionada para a gestão e otimização de ativos físicos e para o cumprimento sustentável das organizações. Ou seja, permite a cada organização manter um registo permanente de todo o seu património numa única plataforma, bem como a gestão do ciclo de vida útil de cada ativo. Trabalha em prol do desenvolvimento de uma solução técnica mais segura, eficaz e fácil de utilizar pelos seus clientes, focada no compromisso ético ambiental das organizações.

E como se posicionam no mercado nacional?

MS: A NextBITT, atualmente, posiciona-se no mercado nacional como a empresa de referência em Asset Management, Facility Management, Field Service, Iot & Sustainability para as empresas do setor.

Nesse sentido, como tem vindo a evoluir o vosso negócio?

MS: Desde a sua existência que a NextBITT tem vindo a apresentar uma evolução constante, seja em resultados, em recursos humanos ou a par das necessidades e exigências dos seus clientes através do desenvolvimento de disruptivas soluções tecnológicas capazes de fazer a diferença no quotidiano organizacional.

Vamos a contas

Qual a faturação do último na fiscal?

MS: A NextBITT registou no seu balanço de 2021, o seu melhor ano de sempre em termos de volume de faturação, com um valor de 3 milhões de euros, permitindo assim registar o seu recorde de volume de negócios.

Isso significa quanto em termos de crescimento face a igual período do ano anterior?

MS: Este resultado representa um crescimento de 60%, o que vem comprovar a consistência e a qualidade percecionada dos produtos e serviços da organização, assim como a assertividade e a relevância da sua oferta e a aposta no capital humano como pilar fundamental do desenvolvimento da empresa.

E já há valores para 2022?

MS: Nos primeiros 6 meses de 2022, em comparação com período homologo de 2021, o crescimento mantém- se a dois dígitos, e o nível de recorrência cresce em igual valor.

Sendo assim, quais as perspetivas de faturação para este ano?

MS: A NextBITT tem como objetivo de 2022, um crescimento da sua faturação aproximado a 30%, e do número de clientes em Portugal um crescimento de 10 a 15 novos clientes. De salientar, que dado a atuarmos particularmente no mercado enterprise, o crescimento de projetos neste tipo de clientes, não deve ser visto de forma isolada, pois para nós, significam novos ponto de faturação, e aqui, só nos primeiros 6 meses de 2022, já crescemos 35%. Agora, persistem fatores globais de incerteza, como o Covid e a guerra, que ao momento não estamos a considerar para este crescimento.

Que tipo de produtos comercializam exatamente?

MS: A NextBITT veio ocupar um espaço “vazio” na tecnologia. Havia produtos de mercado que podiam ocupar esse espaço, mas que estavam tecnologicamente desatualizados e não correspondiam aos interesses do mercado. Ao contrário, nós oferecemos um produto tecnologicamente atualizado e com presença local, que ajudou a responder a essas necessidades e requisitos do mercado.

Apresentamos uma solução de software que, com a pandemia, veio ganhar mais relevância. As empresas começaram a ter planos de contingência, de evacuação, reocupação das instalações e tudo isso passa pelos nossos interlocutores e a nossa plataforma acaba por ser uma ferramenta fundamental. O que oferecemos ao mercado é uma plataforma que cobre todas as áreas de Asset Management, Facility Management, Field Service, IoT e Sustainability.

Por outro lado, para além de gerir os ativos físicos das organizações, congrega o módulo de Sistema de Gestão Energético (SGE), na sua plataforma, capaz de simplificar o cumprimento de boas práticas ambientais com base em métricas de qualidade de energia, água, gás, combustíveis fosseis e rastreio de resíduos perigosos produzidos.

Não customizamos produtos ou serviços, mas fazemos melhorias, uma mais-valia porque a plataforma abrange várias áreas de atividade que crescem com as dinâmicas do mercado.

Em que setores de atividade se movimentam?

MS: Apesar de termos uma plataforma transversal a qualquer setor, as principais indústrias onde a NextBITT atua são a Energia, Banca e o Retalhado Especializado, o Setor dos Transportes, a Indústria Metalomecânica e a Saúde.

Internacionalização é bem real

Trabalham apenas no mercado nacional ou contam já com clientes a nível internacional?

MS: Atualmente, contamos com clientes tanto a nível nacional como internacional, tendo a internacionalização representado 12% da faturação global do ano passado. No entanto, com o investimento de 5 milhões de euros proveniente do fundo Explorer Investments, a NextBITT pretende reforçar a presença internacional, expandindo o seu negócio em quatro ou cinco geografias da comunidade europeia.

Mas quais os vossos principais mercados?

MS: Já contamos com projetos em Espanha, EUA, Angola, Africa do Sul e Brasil.

Com quantos clientes contam atualmente?

MS: Nos dias de hoje, o que podemos partilhar, é que a tecnologia NextBITT apoia os seus clientes na gestão de mais de 1000 milhão de ativos físicos. A plataforma é uma só, para todos os setores, tendo já trabalhado com Leroy Merlin, CUF, EDP, CTT, PRIO, GALP, Sonae MC, Vodafone, Worten, entre outros.

Investir no futuro

Qual a importância desta ronda de investimento?

MS: A NextBITT olha para o investimento de 5 milhões de euros por parte do fundo Explorer Investments como um reconhecimento do seu esforço, trabalho árduo e gestão estratégia desde a sua criação.

Neste sentido, esta operação terá como principal objetivo a o reforço internacional da NextBITT, numa primeira fase no mercado europeu, através da criação e fixação de novos escritórios, com foco no desenvolvimento e promoção da área de sustentabilidade enquanto oferta estratégica de valor acrescentado na gestão de ativos físicos.

Esta parceria torna a NextBITT mais robusta, permitindo um maior foco no crescimento acelerado em diferentes geografias. O acordo alcançado visa uma aposta clara em tecnologia para a sustentabilidade e a NextBITT tem como objetivo ser referência internacional em 5 anos.


Publicado em:

Na Primeira Pessoa

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados