Partilhe nas Redes Sociais

Startup portuguesa cria dispositivo IoT para prever cheias

Publicado em 5 Abril 2017 | 745 Visualizações

Uma startup incubada no Vodafone Power Lab apresentou um dispositivo de monitorização de rios através de sensores IoT (Internet das Coisas), que será instalado no rio Mondego. O projeto chama-se precisamente Rio Mondego e foi desenvolvido por uma equipa de três estudantes do departamento de Engenharia Eletrotécnica e Computadores, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

Os sensores ultrassónicos, com tecnologia semelhante à que é usada nos sensores de estacionamento automóvel, serão instalados em cinco pontos diferentes do rio Mondego e darão alerta no caso de cheias. A ideia para o projeto surgiu há cerca de um ano, depois de uma das piores cheias verificadas em Coimbra, que provocou 2,5 milhões de euros de prejuízos. O envolvimento do Vodafone Power Lab aconteceu no final do ano passado para albergar o projeto de Tiago Custódio, Cristiano Alves e Rui Sousa.

A solução utiliza a rede de dados móvel da Vodafone para monitorizar o caudal do rio e enviar informação sobre o nível das águas e as suas flutuações. Tudo é feito em tempo real e com recurso a um serviço na nuvem.

Depois, os dados recebidos são analisados por uma componente de inteligência artificial que inclui aprendizagem de máquina: à medida que o sistema acumula informação sobre o nível das águas, torna-se mais fácil prever com antecedência a probabilidade de cheias e identificar os fatores que mais influenciam a sua ocorrência. A equipa irá disponibilizar a informação ao público, através do site www.riomondego.com, em linha com um segundo objetivo mais didático: alertar as populações para o uso sustentável da água. O projeto pode ser usado noutras vertentes, incluindo monitorização de reservatórios de água, albufeiras e barragens, ajudando a prevenir situações de seca.

O envolvimento da Vodafone também está alinhado com a sua estratégia refrente à IoT – a empresa tem um Centro de Competências de Internet das Coisas em Portugal, com uma equipa especializada a trabalhar no desenvolvimento de soluções para o mercado nacional e para o resto do grupo.

Em março, a operadora atingiu 50 milhões de ligações IoT, um marco importante no sector.


Publicado em:

Startups

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados