Partilhe nas Redes Sociais

Omicron faz baixas de peso na CES

Publicado em 28 Dezembro 2021 | 61 Visualizações

O Consumer Electronic Show é a primeira grande feira de tecnologia do ano e prometia fazer um regresso em grande aos eventos físicos em 2021, mas as notícias das últimas semanas confirmam que o ano começa com receios, indecisões e pouca margem para voltar aos grandes certames de tecnologia. 

A Microsoft foi a última a admitir que mudou de planos e que afinal não vai estar na feira de Las Vegas entre 5 e 8 de janeiro. A presença física é substituída pela presença online, uma decisão que a Amazon, Lenovo, Intel, AT&T, HiSense, a Google e a Waymo (carros autónomos), Meta (dona do Facebook) ou o Twitter, também já tinham tomado. A T-Mobile, que patrocina o evento, também decidiu rever a participação no certame a reduzi-la significativamente. 

A organização garante, no entanto, que o evento vai manter-se e que será acompanhado de fortes medidas de segurança. O acesso ao recinto está restrito a quem tem vacinas, fizer testes à Covid-19 e usar máscara, mas nem isso tem travado a onde de desistências, justificada pela rápida disseminação da variante Omicron e por dar preferência à segurança das equipas. 

Em 2021, a CES optou por um modelo completamente online. Há dois anos foi o último grande evento de tecnologia a realizar-se a nível mundial, antes do confinamento. O regresso ao formato tradicional do evento está a ser preparado há meses e no site do evento ainda se refere a presença de mais de dois mil expositores. A organização confirmou há dias que recebeu 42 pedidos de cancelamento, da parte dos expositores inscritos. 


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados