Partilhe nas Redes Sociais

Portugal subiu nove posições no ranking europeu de patentes

Publicado em 20 Dezembro 2021 | 86 Visualizações

Portugal subiu nove posições no ranking europeu de pedidos de patente entre 2001 e 2019, multiplicando por sete o valor de partida, de acordo com os dados consolidados no Barómetro Patentes Made in Portugal 2021 da consultora Inventa. Em 2001 foram submetidos 305 pedidos de patente, em 2019 os pedidos submetidos atingiram os 2.150, o que representa uma taxa de crescimento anual de 10,8%.

O ranking europeu é liderado pela Alemanha, França e Reino Unido. Portugal atingiu em 2019 a 20ª posição da tabela. Na última década a maior parte dos pedidos de patentes foi realizado localmente, mas desde 2016 há um crescimento do número de pedidos de registo a partir do estrangeiro.

Estados Unidos e Instituto Europeu de Patentes lideram nos pedidos nacionais feitos no estrangeiro, mas são os pedidos de proteção de invenções na China que mais têm ganho destaque e em breve esta deve tornar-se na terceira jurisdição que recebe mais pedidos nacionais, defende a consultora especializada em propriedade intelectual. Os pedidos nacionais cresceram em média 10,16% ao ano, os pedidos de registo no estrangeiro cresceram 11,44%.

No mesmo período verifica-se que 29% dos pedidos submetidos foram aprovados, o que se traduziu numa taxa de crescimento de pedidos aceites de 10,27%, acima daquilo que conseguiram os países com mais pedidos.

Já este ano, e voltando aos pedidos de patente submetidos junto do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual, a região do país onde o número de submissões mais cresceu foi o Alentejo (90,3%), mas a região onde tem origem a maior parte dos pedidos ainda é o Norte, de onde saem também a maior dos pedidos de patentes europeus.

As invenções relacionadas com tecnologias computacionais e comunicação digital estão em expansão, mas a maior parte dos pedidos ainda vêm dos sectores farmacêutico, da engenharia civil, tecnologias médicas e da química orgânica fina. A Universidade do Minho e a Universidade do Porto dividem a liderança no número de invenções apresentadas.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados