Partilhe nas Redes Sociais

PUB

Preparar o pós-pandemia hoje. O que é mesmo importante?

Publicado em 30 Abril 2020 por Cristina A. Ferreira - Ntech.news | 673 Visualizações

Os números não são animadores. Um estudo da OCDE divulgado no início de abril indicava que Portugal era a 11ª economia mais afetada pela pandemia na sua capacidade produtiva, durante as medidas de confinamento. A análise avaliou o impacto destas medidas em 47 países. Outros estudos antecipam que serão necessários anos para recuperar dos efeitos desta paragem abrupta a nível mundial.  

Escusado será por isso dizer que eficiência e agilidade ganharam um lugar ainda mais importante na estratégia das empresas, que se preparam para aprender a tirar partido das novas oportunidades do mercado, enquanto limitam danos e perdas dos últimos meses. 

Quisemos saber que prioridades as empresas não podem descurar na preparação deste mundo pós-pandemia e responsáveis de cinco empresas, com soluções tecnológicas em diferentes áreas, aceitaram o desafio e têm várias sugestões

Francisco Rodrigues, sales director da GSTEP, acredita que a prioridade das empresas deve passar por apostar cada vez mais na eficiência de processos e no acesso simples e rápido a informação fidedigna.

Francisco Rodrigues, da GSTEP, acredita que este é o momento para voltar ao essencial e que as empresas devem concentrar esforços no que fazem bem .

«Num futuro próximo, não será possível reunir toda a gente numa sala e fazer um alinhamento estratégico e é fundamental que os colaboradores compreendam de forma clara quais os objetivos da empresa e que métricas serão utilizadas para os medir», justifica.


Aposta na transformação digital não pode parar 

Na mesma linha, Sara Oliveira, COO e Head of Consulting Services da Create IT, considera fundamental que as empresas «continuem os processos de transformação digital, permitindo que a localização física dos colaboradores não seja impeditivo para que possam desempenhar as suas funções». 

A desmaterialização de processos é um dos ingredientes-chave para sustentar novos modelos de operação que, como se sabe, segue a vários ritmos no tecido empresarial das PME, mas é também para Nuno Figueiredo, board member da Abaco Consulting, elementar para ultrapassar limitações que em momentos de crise podem fazer a diferença.

«Temos de eliminar tudo o que não seja ágil e que não nos permita ter um modelo de negócio rápido a reagir». Para o responsável este é o impulso que as empresas não podem desperdiçar para se tornaram digitais nos seus processos de venda, na produção, nos modelos de recrutamento ou gestão de carreira, sem esquecer a modernização das ferramentas de monitorização e acompanhamento de saúde e segurança no trabalho, que podem apoiar uma reação rápida em futuras situações críticas.

«Olhar para a nuvem e para as ferramentas de colaboração como aliados para a produtividade e para o teletrabalho como uma oportunidade para as empresas e não só para os colaboradores» são outras máximas, deixadas pela COO da Create IT.

Estudar o que correu bem e mal antes de seguir em frente 

Um futuro cada vez mais alicerçado em tecnologia e mobilidade das equipas exige uma aposta maior em ferramentas de suporte ao teletrabalho, na segurança da infraestrutura tecnológica e em «planos de continuidade de negócio que garantam o seu funcionamento durante eventos inesperados que possam surgir no futuro», destaca também José Vilarinho, CEO da Opensoft. Avaliar o que correu bem e menos bem durante as medidas impostas pelo surto covid-19 é essencial para preparar o melhor possível o futuro, a este nível, defende o responsável.

Mas como nem só de tecnologia se fazem as estratégias de sucesso, os nossos interlocutores apontam mais alguns aspetos importantes nesta tarefa ímpar de desenhar o futuro, sem conhecer ainda todas as regras do jogo. 

Desenhar planos de continuidade de negócio que tenham em conta o que correu bem e menos bem nesta fase é fundamental, acredita José Vilarinho da Opensoft.

Pedro Sousa, diretor comercial da Randstad, encabeça a lista de prioridades que devem estar na mente de qualquer empresa à data de hoje, com a segurança do regresso ao trabalho, que complementa com relevância e experiência

A primeira, a relevância, que vê hoje como condição essencial – baseada em ações e na própria oferta – para que cada empresa consiga relacionar-se e garantir o seu espaço perante clientes, colaboradores e sociedade. A segunda, a experiência, refere-se à experiência que cada empresa é capaz de proporcionar àqueles que com ela se relacionam o que, na opinião do responsável, se tornou ainda mais relevante nesta fase.

Francisco Rodrigues, da GSTEP, complementa, salientando que também hoje mais do nunca, o sucesso passa pela capacidade de criar empatia para tentar chegar a todos e de manter o foco naquilo que se faz bem e que representa uma oportunidade de diferenciação. 

Soluções para agilizar a resposta 

Estas, tal como muitas outras empresas, lançaram iniciativas próprias para ajudar apoiar o mercado nesta fase de incerteza e na preparação do que virá a seguir. Incluem-se neste leque a disponibilização gratuita da plataforma Diggspace (Create IT), a criação de um kit digital de serviços com um conjunto de ferramentas para apoio ao recrutamento, seleção, formação e gestão de pessoas, como fez a Randstad, ou a disponibilização de uma solução de atendimento por videoconferência, para minimizar os constrangimentos das empresas com uma forte componente de atendimento presencial, como fez a Opensoft são exemplos. 

A GSTEP optou por canalizar o seu contributo para uma iniciativa gratuita, lançada em conjunto com fabricantes de software, para trabalhar os dados das organizações no âmbito da Covid-19, com o objetivo de contribuir para acelerar a análise de informação e a obtenção de insights relevantes. 

 A Abaco Consulting decidiu aprofundar as funcionalidades da ferramenta Safemed, uma solução criada pela tecnológica para gerir requisitos de segurança e saúde no trabalho, um apoio na gestão de planos de contingência e na monitorização do estados dos colaboradores.  


Publicado em:

AtualidadeEspeciais

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados