Partilhe nas Redes Sociais

Programa UpSkill arranca na terça-feira

Publicado em 11 Setembro 2020 | 648 Visualizações

Trata-se de um programa de formação profissional financiado pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional – IEFP, destinado a desempregados que tenham pelo menos o ensino secundário, competências na língua inglesa e que pretendam obter qualificações na área das tecnologias digitais.

O objetivo do UpSkill: Digital Skills & Jobs passa pela qualificação de recursos humanos através de uma formação intensiva de seis meses em áreas como a programação em  várias linguagens, gestão de plataformas cloud ou programação em plataformas low-code. 

Neste âmbito, o Iscte – Instituto Universitário de Lisboa é a instituição de ensino superior responsável pela formação de 50% dos primeiros 500 profissionais de tecnologias digitais que, a partir de 15 de setembro, irão ser integrados no programa para trabalharem em empresas como programadores informáticos. Os restantes técnicos serão formados por outras instituições do ensino superior como o Instituto Superior Politécnico de Castelo Branco, o Instituto Superior Politécnico da Guarda, o Instituto Superior Politécnico do Porto ou o Instituto Superior Politécnico de Setúbal.

Dirigido prioritariamente a jovens que tenham o 12º ano e que estejam desempregados ou que queiram mudar de trabalho, a preparação do programa UpSkill: Digital Skill & Jobs envolveu os ministérios da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, da Economia e do Trabalho. Para além do Iscte e do IEFP, o programa é desenvolvido em parceria com a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações – APCD  e o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos – CCISP.

«O Iscte está empenhado neste programa que pretende combater o desemprego e aumentar o nível de qualificação dos portugueses em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), uma área que foi identificada como prioritária dadas as dificuldades que as empresas tecnológicas enfrentam hoje em Portugal para recrutar os programadores de que precisam», afirmou, a propósito, Maria de Lurdes Rodrigues, reitora do Iscte.

A mesma responsável acrescentou ainda que «faz parte da estratégia do Iscte responder rapidamente, em tempo útil, a solicitações de empresas privadas e de entidades públicas, como é o caso».

A maior parte das 12 turmas a cargo do Iscte nesta primeira fase do UpSkill (cerca de 250 alunos) vão ter as suas aulas nas instalações da StartUp Sintra e as restantes na sede desta universidade em Lisboa.

Após o período de formação, os formandos terão mais três meses de estágio em contexto empresarial, «nas instalações dos futuros empregadores, com possibilidade de contratação no final do curso». As empresas, «aliás, comprometem-se a contratar 80% dos formandos». Durante a formação inicial que terá início a 15 setembro os participantes têm direito a uma bolsa de 635 euros. A partir de março de 2021, com o início do estágio nas empresas, o salário mínimo de referência destes primeiros formandos subirá para 1200 euros.

Entre as empresas que vão receber os formandos, contam-se a Accenture, a Altran, a Axians, a CI&T, a Deloitte, a DXC Technology Portugal, a Experis, a GFI, a Joyn SGPS, a Microsoft, a Outsystems, a Promopcmkt e a Zarph.

 O UpSkill terá novas edições até formar e colocar no mercado de trabalho mais de três mil quadros informáticos.


Publicado em:

Talento

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados