Partilhe nas Redes Sociais

Projetos de inovação levam eficiência e melhor gestão de recursos para a agricultura

Publicado em 29 Dezembro 2022 | 402 Visualizações

A Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural divulgou um conjunto de projetos em que tem estado envolvida e que podem ter um forte impacto no tecido agrícola português. Desenvolvidos com apoio dos fundos europeus, refletem o potencial da tecnologia num sector crítico para Portugal como o da agricultura.

Um dos projetos destacados é do Grupo Operacional Regadio de Precisão, criado no âmbito da Parceria Europeia de Inovação para a Produtividade e Sustentabilidade Agrícolas. Financiada pelo PDR 2020, a iniciativa Pack VRI permitiu desenvolver um sistema integrado de agricultura de precisão, que assegura a recolha de dados de cada parcela, por exemplo, no que se refere à aplicação da água e aos fatores de produção, útil para corrigir solos ou otimizar a aplicação de fertilizantes. 

O sistema integra tecnologia de monitorização que recorre a sondas de humidade do solo, estações meteorológicas, mapas de condutividade elétrica, entre outras, e possibilita uma produção mais homogénea durante as campanhas e mais eficiente, no que se refere à aplicação dos recursos hídricos.

Também destacado é o OMEGA – Otimização da Gestão de Albufeiras, do mesmo grupo, que consiste numa plataforma de apoio à gestão da água armazenada nas albufeiras hidroagrícolas. Neste âmbito, foi criado um sistema que disponibiliza, em tempo real, a informação gerada por modelos hidrológicos e meteorológicos de alta resolução. Por esta via é possível melhorar a capacidade de previsão dos caudais afluentes, as disponibilidades hídricas e a qualidade do recurso armazenado.

Ainda em desenvolvimento está outra iniciativa – o Sistema de Apoio à Gestão de Regadio e de Informação Agrícola (SAGRIA), da DGADR, que vai dar acesso a informação atualizada relativa aos aproveitamentos hidroagrícolas (por exemplo, ocupação cultural, consumos de água, informação económico-financeira, informação sobre cadastro, segurança de barragens).

Durante o próximo ano, fica também disponível uma ferramenta que, «através da recolha e tratamento da informação das associações de regantes e beneficiários, entre outros, contribuirá para a melhoria da gestão da água e para o aumento da eficiência hídrica e energética nos aproveitamentos hidroagrícolas portugueses, incluindo os de fins múltiplos», explica a DGADR. O mesmo sistema vai permitir avaliar o funcionamento das infraestruturas hidroagrícolas e identificar os pontos críticos, com vista à sua correção e melhoria.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados