Partilhe nas Redes Sociais

Redes on demand, cibersegurança avançada e 5G no topo das agendas em 2023

Publicado em 13 Janeiro 2023 | 58 Visualizações

No início de cada ano alinham-se tendências e identificam-se os tópicos que tendem a marcar os meses seguintes, nas mais diversas áreas. A Colt Technology Services também fez este exercício e chegou a uma lista de 10 tendências, que escolhe como as mais relevantes para os meses que aí vêm e às quais, como tal, as empresas devem estar atentas. 

A empresa de infraestruturas digitais antecipa um ano dominado pelo forte aumento das redes on-demand, pelas funcionalidades avançadas de cibersegurança e pelo crescimento do Smart X (sobretudo nos edifícios inteligentes), mas também pelo desenvolvimento do 5G privado nas empresas e pelo aumento dos investimentos na cloud.

Como primeira grande tendência, a Colt escolhe o Futuro do Trabalho, que continuará a influenciar a adoção das tecnologias, à medida que as empresas implementam políticas de trabalho híbridas e investem nas tecnologias necessárias para as concretizar. Daqui resultará o crescimento das plataformas tecnológicas de rede ágeis e on-demand, como as redes definidas por Software (SD-WAN) e o Secure Access Service Edge.

À medida que os fornecedores lançam no mercado soluções mais inovadoras e proporcionam níveis acrescidos de proteção, surgirão também novos recursos de cibersegurança, mais sofisticados e robustos. «Em todo o setor, a IA, o machine learning e o IoT continuarão a desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento de funcionalidades e características tecnológicas mais sofisticadas», antecipa a Colt.

As previsões da PWC indicam que 2023 será o ano da viragem, para a massificação, do 5G. As empresas também contribuirão para isso e a utilização da tecnologia no ambiente empresarial ganhará mais maturidade, com a otimização deste acesso, recorrendo a uma abordagem híbrida à rede, apoiando as suas redes privadas de 5G em infraestruturas digitais, incluindo redes de fibra on-demand.

A cloud continuará a ganhar terreno, com as empresas a investirem cada vez mais para migrar aplicações para a nuvem, como forma de ganhar flexibilidade, ampliar a escalabilidade e reforçar a automatização. Nos próximos dois anos, 73% das empresas líderes do sector das TI devem canalizar a maior parte dos seus investimentos para a cloud, sublinha a Colt. 

As estratégias Multi-cloud vão tornar-se dominantes e mesmo os sectores que têm sido mais cautelosos na abordagem à nuvem, como os serviços financeiros, vão mover as suas aplicações de front office para a cloud.

O metaverso também tem lugar nesta lista de tendências. A Colt acredita que os business case empresariais neste domínio vão tornar-se mais consistentes, nomeadamente em sectores como a indústria transformadora, a agricultura e os cuidados de saúde. «Em 2023, espera-se que as empresas dinamizem o seu planeamento para a utilização do metaverso como o ambiente virtual ideal para testar novas propostas e oportunidades».

Em 2026, o número de edifícios inteligentes, a nível global, deverá atingir os 115 milhões, num avanço de 150% face aos atuais 45 milhões, de acordo com dados da Juniper.  Já em 2023, espera-se que essa tendência de crescimento se intensifique, impulsionada por metas de sustentabilidade, como a redução do consumo de energia ou a urgência de alcançar a neutralidade carbónica. Nesta linha, espera-se também um crescimento significativo do mercado de fabrico inteligente, com a integração das TI e da Tecnologia Operacional (OT), para melhorar os fluxos dos dados e capacidade de análise.

O Blockchain sairá cada vez mais da esfera do sector financeiro, para passar a estar integrado de forma mais ampla nas aplicações empresariais diárias que requerem níveis de segurança robustos, encriptação avançada e colaboração entre P2P. Em 2023, essa tendência passará a ter um maior significado, defende a Colt. 

«A implementação de redes de baixa-latência e com maior capacidade irá acelerar tanto nas zonas geográficas onde já estão presentes como em novas áreas, de modo a permitir que as empresas que investem em infraestruturas digitais as a service possam cumprir os seus objetivos estratégicos», antecipa igualmente a Colt.

A empresa remata a sua lista de 10 tendências prevendo que, em 2023, ganhe também destaque a aposta dos fornecedores em tecnologias de acesso inovadoras, desde as redes de cabos submarinos até aos High Altitude Platform Systems (HAP), que funcionarão em conjunto para criarem ecossistemas de conectividade centrados na experiência do cliente.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados