Partilhe nas Redes Sociais

Receitas da Vodafone Portugal crescem impulsionadas pelo aumento de clientes no serviço fixo

Publicado em 16 Maio 2017 por Ntech.news - Rui da Rocha Ferreira | 1112 Visualizações

Vodafone Portugal

A Vodafone Portugal aumentou em 18,8% o número de clientes nos serviços fixos durante o quarto trimestre do ano fiscal de 2016, que terminou a 31 de março. A operadora de telecomunicações tem agora 590 mil clientes em serviços fixos – internet, televisão e telefone.

Este foi um dos factores que motivou o crescimento das receitas da Vodafone Portugal durante o quarto trimestre fiscal. Entre janeiro e março a operadora faturou um total de 239,8 milhões de euros, um crescimento de 1,7% em comparação com igual período do ano anterior.

Deste valor, 226 milhões de euros tiveram origem na receita de serviços, sendo que os restantes 13,8 milhões tiveram origem na venda de equipamentos.

Em comunicado a Vodafone afirma que a sua rede de fibra ótica já chega a 2,7 milhões de casas e empresas em Portugal e que o número de clientes móveis é de 4,17 milhões, uma quebra de 2,8% em relação ao final de março do ano passado.

“O exercício de 2016-2017 mostra que a Vodafone Portugal mantém uma tendência de crescimento, num ambiente de plena convergência, reflexo de uma estratégia de investimento e de diversificação do negócio ao longo dos últimos anos. O foco no cliente, o forte investimento na expansão e modernização das redes fixa e móvel de última geração e o papel de referência em inovação, permitem-nos entregar cada vez mais valor, e reforçar a nossa posição competitiva no sector”, afirma em comunicado o diretor executivo da Vodafone Portugal, Mário Vaz.

Olhando para os resultados cumulativos do ano fiscal de 2016, a Vodafone Portugal atingiu receitas de 985 milhões de euros, um crescimento de 1,2% em comparação com o ano fiscal de 2015.

Na análise dos resultados globais, destaque ainda para um aumento anual de 76,5% na utilização de dados móveis por parte dos clientes da operadora, um sinal claro de que os serviços centrados em serviços digitais e nos dados móveis estão a ter uma forte procura.


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados