Partilhe nas Redes Sociais

Sabe como manter os seus dispositivos seguros?

Publicado em 16 Novembro 2020 por Ntech.news- Luísa Dâmaso | 179 Visualizações

Num mundo permanentemente interconectado, os endpoint devices – computadores, impressoras, smartphones, entre outros – são cada vez mais e a procura por estes dispositivos faz com que se continuem a disseminar à velocidade da “luz”. O número de endpoint devices conectados, que em 2015 era pouco superior a 15 mil milhões, deverá crescer para mais de 75 mil milhões em 2025!

De acordo com a Associação Empresarial dos Sectores Eléctrico, Electrodoméstico, Fotográfico e Electrónico (AGEFE) e com o seu Guia Riscos de Cibersegurança para Endpoint Devices: Guia Prático para Dispositivos de Computação, Impressão e Mobilidade, este crescimento exponencial de endpoint devices vai ser ainda mais acelerado com a implementação da nova geração de redes de comunicação móveis (5G) , que se irá tornar o elemento catalisador de outras tecnologias, como a cloud computing , a Inteligência Artificial, a Condução Autónoma (veículos autónomos e conectados) e a IoT , que serão a base tecnológica das cidades inteligentes, e de muita da atividade humana no futuro.

Sabendo que estes dispositivos passam, muitas vezes, ao lado das preocupações de segurança, há muitas portas abertas aos cibercriminosos. Estes equipamentos estão na origem de mais de um quarto das falhas de segurança.

Para ajudar os utilizadores a agir sobre as configurações de segurança dos seus equipamentos, o Guia da AGEFE traça um plano realista do panorama nacional ao nível da cibersegurança e reúne de forma clara as diretrizes que constam do Quadro Nacional de Referência para a Cibersegurança (QNRCS) e do Plano de Ação para a Transição Digital.

Com base em quatro das tipologias de requisitos referidas no QNRCS – Autenticação; Eliminação Segura de Dados; Integridade do software, firmware e dados; e Deteção e Proteção – o Guia propõe um método de ajuda à decisão, que identifica os objetivos essenciais de cibersegurança para cada categoria de endpoint devices, a forma de os implementar e de comprovar a sua eficácia, bem como as normas e/ou certificações que poderão ser relevantes para o efeito.

Daniel Ribeiro, diretor executivo da AGEFE, este Guia é uma ferramenta «simples que, de forma tecnológica e comercialmente neutra, contém informação essencial e propõe opções concretas e exequíveis quanto aos aspetos de cibersegurança a ter conta para a aquisição de dispositivos de computação, impressão e mobilidade, quer no sector público quer no privado».


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados