Partilhe nas Redes Sociais

Sete atributos para subir na carreira de programador

Publicado em 3 Agosto 2022 | 28 Visualizações

As funções preenchidas por perfis tecnológicos estão entre as mais solicitadas pelas empresas em Portugal, um pouco à semelhança do que acontece no resto do mundo ocidental. Neste universo, destacam-se os cargos que envolvem competências de programação, que estão entre os mais bem pagos do mercado. Uma das razões está na dificuldade em contratar profissionais qualificados para esses cargos, uma dificuldade que o ManpowerGroup, identificou em 84% das empresas inquiridas no estudo Talent Shortage Survey de 2022. 

Embora como mostram os números esta não seja uma área onde é difícil encontrar emprego, uma empresa do mesmo grupo da área das TI, a Experis, alinhou um conjunto de sete competências humanas consideradas fundamentais para progredir na carreira de programador, tendo em conta a crescente valorização das soft skills pelas empresas. Estes são, segundo esta fonte, os sete temas chave para vencer nesta área, além das competências técnicas:

1. Raciocínio lógico

A atividade de um programador exige esta competência. Perante um problema no código que está a desenvolver, o programador deve ser capaz de assimilar toda a informação que está a processar no momento, para posteriormente avaliar as diferentes opções à disposição e escolher a melhor, diminuindo a probabilidade de erro.

Assim, as empresas tendem a valorizar profissionais com capacidade de organizar informações e conceitos mentalmente, assim como com capacidade de comunicação e argumentação, reflexão e cálculo, para tomar boas decisões.

2. Capacidade de resolução de problemas

«A resolução de problemas é uma das principais competências exigidas para esta função. Quando surge um obstáculo, o programador deve parar para analisar, trabalhando para encontrar uma solução, criativa e eficiente, sem descurar a qualidade do que está a desenvolver».

As empresas procuram, por isso, profissionais com uma atitude positiva face aos desafios, capacidade auto-motivação e de motivar os colegas. Profissionais resilientes e que não desistam de encontrar o erro e resolvê-lo, mesmo que o processo seja demorado. 

3. Capacidade de comunicação

Comunicar de forma eficaz é uma característica considerada essencial para estes profissionais, independentemente do seu background. Mesmo que alguns projetos acabem por ser realizados individualmente, muitos envolvem diferentes fases e profissionais que precisam de comunicar entre si de forma clara para o projeto avançar. 

«Ter boas capacidades de comunicação irá permitir que estes profissionais consigam agilizar o seu trabalho, sendo que devem utilizar, nesse sentido, a escuta ativa e ouvir atentamente as expectativas de quem os rodeia para, assim, responder da melhor forma», refere-se.

4. Gestão de tempo

Como os projetos têm prazos definidos, gerir o tempo de forma eficiente é essencial em funções de desenvolvimento. Isso implica uma boa organização das horas que devem ser dedicadas a cada tarefa, um aspeto ainda mais relevante para quem trabalha em vários projetos diferentes, como ocorre com os freelancers. «Neste sentido, é importante conseguir definir e priorizar as suas tarefas, comunicando ao resto da sua equipa o tempo de que necessita para as completar», refere a Experis.

5. Inteligência Emocional

«A inteligência emocional está relacionada com a capacidade de, em momentos de grande stress, conseguir ter uma atitude calma, que permita chegar às soluções de forma eficiente, respondendo aos problemas ou conflitos que possam surgir», explica a Experis.

Esta é uma competência ligada à capacidade de ter empatia pelos outros, de trabalhar melhor em equipa ou mesmo de fazer um esforço para perceber os desafios dos colegas, colocando-se na sua posição.

6. Trabalho em equipa

«Quer a função seja em front-end, back-end ou full-stack, os programadores devem trabalhar em equipa, para que o projeto final seja concluído de acordo com o esperado».  

As características acima referidas de comunicação, escuta ativa e empatia são por isso vistas como determinantes para potenciar o trabalho colaborativo e garantir os melhores resultados. 

7. Adaptabilidade e capacidade de aprendizagem contínua

«Estar a par das novidades tecnológicas é um esforço constante para um programador, já que diariamente surgem inovações no sector que precisam de ser acompanhadas». Os profissionais desta área devem estar preparados para se adaptar a novos métodos de trabalho ou linguagens de programação rapidamente, sem reduzir a produtividade e sem prejudicarem o ritmo de trabalho, aprendendo novas técnicas de forma contínua.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados