Partilhe nas Redes Sociais

Venda da IMS faz disparar lucros da Novabase para os 9,6 milhões de euros

Publicado em 17 Fevereiro 2017 | 1741 Visualizações

Num ano que ficou marcado pela venda da unidade de infraestruturas e serviços geridos, os lucros da Novabase cresceram 29%. Como a empresa reconhece na nota de resultados, a operação foi «um passo decisivo no reposicionamento que temos vindo a fazer, para focar e reforçar a nossa internacionalização». A operação tirou do grupo uma unidade que empregava mais de 400 pessoas e que gerou um encaixe financeiro superior a 38 milhões de euros, influenciando positivamente os lucros, que cresceram quase 30% para os 9,6 milhões de euros.

No mesmo período, o volume de negócios ascendeu a 135,7 milhões de euros, também acima dos 127,2 milhões de euros obtidos em 2015, o que representa um crescimento de 7%, enquanto o EBITDA se fixou nos 5,9 milhões de euros, cerca de metade do obtido há um ano. O resultado reflete custos extraordinários de sete milhões de euros com um projeto, conforme explica a nota enviada à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários.

No novo perímetro de consolidação, que passa a distribuir as operações depois da venda da IMS, a atividade internacional da Novabase cresceu 16% e representa 60% do negócio, sendo que é na Europa que se concentra o grosso da atividade do grupo fora de portas (dois terços).

O crescimento do negócio internacional na região alcançou os 27%. Em 2017, a estimativa da Novabase é de que a atividade internacional assuma a mesma ordem de grandeza, em percentagem de volume de negócios, que a tecnológica quer fazer crescer acima dos 140 milhões de euros.

Ao longo do ano, o grupo promete ainda uma aposta em produtos cada vez mais diferenciados e a crescente especialização em mercados mais sofisticados, uma meta que Luís Paulo Salvado, CEO, admite exigir maior investimento em I&D. O percurso que a empresa tem vindo a fazer nos últimos tempos, de reduzir o nível de exposição a mercados mais voláteis, como África por exemplo, continuará em 2017, adiantou também a Novabase esta quinta-feira.

A remuneração aos acionistas propostas pela empresa na sequência do encerramento do ano fiscal de 2016 é de 15 cêntimos por ação, mais 25% que há um ano.


Publicado em:

Negócios

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados