Partilhe nas Redes Sociais

Web Summit fica em Lisboa mais 10 anos

Publicado em 2 Outubro 2018 | 286 Visualizações

A pergunta que se tem feito nos últimos tempos sobre o futuro da Web Summit  já terá resposta. Segundo o que está a ser avançado pela Antena 1, a capital portuguesa foi mesmo a cidade escolhida para receber o maior evento europeu de tecnologia na próxima década.

A informação ainda não tem confirmação oficial, mas nos canais de comunicação da organização que promove a conferência adianta-se que esta quarta-feira, dia 3 de outubro, será dia de novidades e também já se sabia que as negociações de vários Governos com os promotores estavam na reta final.

A Web Summit nasceu na Irlanda e quando saiu de Dublin veio para Lisboa, onde se realizou nos últimos dois anos e volta a ter lugar no início de novembro, cumprindo o acordo a três anos negociado diretamente com Paulo Portas, vice-primeiro ministro na altura. Este ano são esperados cerca de 70 mil participantes no evento, que ganhou escala em Portugal e triplicou a audiência.

Além de Portugal, que através das entidades oficiais tem deixado clara a vontade de manter a conferência no país, tinham propostas para acolher o evento as cidades como Valência, Madrid e de Londres.

A Antena 1 garante que a decisão já está tomada e que Lisboa foi a cidade escolhida para acolher a Web Summit até 2028. Conforme já tinha sido divulgado, as negociações entre a organização e o Governo tinham em vista a permanência do evento no país por mais cinco anos, com a possibilidade de extensão por outros cinco.

Nos posts publicados nas redes sociais, a organização associa à informação de que amanhã terá novidades para anunciar as fotos de várias cidades, incluindo Lisboa.

Notícia atualizada às 12:20 – 03/10/2018

A permanência da Web Summit em Lisboa por mais 10 anos já tem confirmação oficial. O Estado português garante um apoio anual ao evento, durante a próxima década, de 11 milhões de euros e negociou com a organização uma cláusula de rescisão de 340 milhões de euros, caso o contrato seja quebrado pelos promotores do evento. O valor será aplicado por cada ano a menos da conferência no país, caso a organização mude de ideias e decida sair de Lisboa antes do prazo acordado.

Nos termos do acordo revelado esta quarta-feira, fica ainda estabelecido o compromisso de fazer crescer a área de exposição do evento 2,5 vezes, face às dimensões atuais, um crescimento que acontecerá por fases e que será acompanhado pelo aumento do número de participantes no evento, que se pretende levar acima dos 100 mil.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados