Partilhe nas Redes Sociais

5 tendências que vão marcar as estratégias das empresas até 2022, segundo a Deloitte

Publicado em 24 Fevereiro 2020 | 1242 Visualizações

Nos próximos 18 a 24 meses são várias as tecnologias que prometem marcar as empresas. No seu Tech Trends de 2020 a Deloitte elegeu as mais relevantes, concluindo que a convergência entre tecnologias é um dos fatores determinantes na forma como estas tendências prometem marcar a vida das empresas no curto e médio prazo. 

A este nível, o relatório destaca a crescente integração entre soluções digitais, experiência humana e ferramentas de Inteligência Artificial e também prevê uma interatividade crescente entre máquinas e pessoas, através de plataformas digitais que consigam aproximar-se da interação humana. 

A Deloitte antecipa ainda que a necessidade de garantir o financiamento de ideias inovadoras e de facilitar a implementação destas tecnologias vai impulsionar uma maior colaboração entre os diretores financeiros e digitais das empresas.

Abaixo pode consultar em maior detalhe as tendências a que a consultora dá principal destaque para os próximos 18 a 24 meses: 

·         Digital Twins- uma ligação entre o físico e o digital: com a tecnologia Digital Twin a permitir que as empresas criem modelos virtuais cada vez mais sofisticados, que potenciam a otimização de sistemas, produtos e serviços, a consultora acredita que as empresas vão começar a integrar cada vez mais tecnologia IoT, machine learning e infraestruturas informáticas avançadas nos seus processos, para conseguirem desenvolver novos modelos de negócio;

·         O despertar da arquitetura tecnológica: a Deloitte sublinha que o papel do arquiteto de soluções está em profunda transformação e caminha para se tornar mais ágil e mais colaborativo, porque a arquitetura de sistemas tende a tornar-se numa prioridade estratégica para as organizações. Estes profissionais vão trabalhar de forma transversal ao negócio, com equipas de projeto não-técnicas para criarem fatores de diferenciação na economia digital.  

·         A tecnologia ao serviço da ética e da confiança: Nos próximos anos, os CIOs vão dar uma importância crescente à chamada ética tecnológica e criar processos que ajudem as empresas a resolver problemas éticos ligados às novas tecnologias, por perceberem que este é um fator determinante para promover a confiança nas marcas e a sua boa reputação. 

·         Plataformas hiper-realistas: As experiências digitais para promover e viver emoções estão a chegar e vão potenciar a ligação entre pessoas, sistemas, dados e produtos. A Inteligência Artificial, através do machine learning ou do reconhecimento facial e de voz, terá um papel determinante na criação de soluções com inteligência emocional, que já começa a ser uma aposta de muitas empresas.

·         O poder financeiro e o futuro tecnológico: CIOs e CFOs terão de explorar cada vez mais em conjunto novos modelos de trabalho e novas abordagens financeiras para assegurar o futuro da inovação tecnológica.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados