Partilhe nas Redes Sociais

Nos pagamentos o dinheiro ainda é rei!

Ricardo Mestre, Diretor de Marketing da Gateway

Publicado em 2 Agosto 2018 | 241 Visualizações

A forma como efetuamos os pagamentos está a mudar, mas o dinheiro ainda é rei!

Decorre neste momento uma transformação na forma como efetuamos os pagamentos de bens e serviços. Apesar das várias perspetivas relativamente ao tema, esta alteração é apenas mais uma na história da humanidade. Mais rápida? Seguramente. Mais digital? Sem dúvida. Mas mais uma.

Desde a troca de bens por bens, primeiras moedas de bronze, ouro ou prata, ao surgimento das primeiras notas e cartões de débito em cada momento da história, foram tempos de mudança e incerteza. Hoje os pagamentos móveis, biométricos ou plataformas associadas a Internet of Things (IoT) ganham cada vez mais preponderância nas atividades do dia a dia e essencialmente nas novas gerações X e Z já que o seu perfil é caracterizado pela facilidade com que experimentem novas tecnologias, particularmente digitais, e as integram no seu estilo de vida (Nativos Digitais)

Contudo, ainda que as tendências apontem para mais uma transformação global na forma como as transações comerciais ocorrem, existem poucas evidências factuais de um afastamento do dinheiro. Na realidade, apesar de todas as melhorias tecnológicas nos pagamentos dos últimos anos, mais rápidas e convenientes, a procura por dinheiro aumentou na maioria das economias avançadas e poucas são as sociedades que estão próximo de operarem “sem dinheiro” ou mesmo com “menos dinheiro” (BIS Quarterly Review, March 2018).

Tendo em consideração a realidade factual, diria que o retalho se deverá preparar para a transformação que já está a acontecer, mas ao mesmo tempo adaptar as suas estratégias às evidências factuais e reais da circulação do dinheiro. Cada vez mais se verifica um aumento da utilização do dinheiro, especialmente em lojas tradicionais e/ou pequenos comércios regionais e que leva obrigatoriamente a uma maior dedicação de tempo e recursos na gestão e controlo do dinheiro.

A gestão automatizada reduz o tempo despendido com as tarefas diárias associadas à preparação de caixas, com o número de procedimentos relacionados e é neste contexto de inovação que se apresentam soluções cada vez mais tecnológicas e mecanizadas, cujo propósito é oferecer a máxima segurança e uma excelente experiência de compra. Os mais recentes e inovadores sistemas de cash management, particularmente em circuito fechado, automatizam e protegem de forma eficiente a gestão do dinheiro e ao mesmo tempo limitam a necessidade de o mesmo ser manuseado pelos operadores na loja – desde o check out até o back office, com total controlo sobre todos os movimentos (não descurando o CIT).

Estas soluções têm vários níveis de segurança e gestão, mas todos visam melhorar e tornar os processos mais céleres. As caixas podem ser reabastecidas e esvaziadas de forma rápida e segura, o montante pode ser monitorizado em tempo-real e existe uma total transparência da transação sem disparidades.


Publicado em:

Opinião

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados