Partilhe nas Redes Sociais

Carlos Moedas têm mais 2 MM€ para o novo Conselho Europeu de Inovação

Publicado em 18 Março 2019 | 372 Visualizações

Carlos Moedas, comissário europeu da investigação, ciência e inovação, anunciou esta segunda-feira que a jornada para a criação de um Conselho Europeu da Inovação vai entrar numa nova fase. As medidas estão alinhadas e o financiamento de mais 2 mil milhões de euros garantido, para fazer chegar ao terreno a segunda fase do piloto que precede à implementação da nova estrutura.

O objetivo deste segundo piloto (2019-2020) é preparar o terreno para que o CEI esteja a funcionar em pleno em 2021, quando arrancar o novo programa quadro europeu de apoio à investigação e inovação. O Horizonte Europa vai suceder ao atual Horizonte 2020 e deverá reunir mais de 100 mil milhões de euros em fundos. A CE propõe que 10% vão direitinhos para o CEI e para estratégias que afinem a pontaria da região, para se posicionar como líder mundial na área da inovação.

Até lá, os 2 mil milhões de euros que a CE se prepara para aplicar à segunda fase do piloto vão servir para lançar um fundo que financie PME e startups até que o negócio atinja uma escala apetecível para o investimento privado. A verba servirá ainda para apoiar projetos de I&D em tecnologias avançadas e para começar a criar a equipa que vai integrar o Conselho, recrutando gestores de programa, que vão trabalhar a tempo inteiro no acompanhamento das várias iniciativas.

A CE pretende ainda escolher em breve entre 15 e 20 líderes na área da inovação, que vão integrar o Advisory Board do CEI, que terá responsabilidades na divulgação da nova fase piloto e na preparação do futuro do CEI e da estratégia europeia de apoio à I&D e inovação. O objetivo é criar uma estrutura que garanta um acompanhamento mais direto e orientado dos esforços europeus de inovação, melhorando as taxas de conversão de projetos de I&D em produtos e serviços concretos lançados no mercado.

«Com o Conselho Europeu da Inovação não vamos simplesmente pôr dinheiro em cima da mesa. Criamos todo um sistema de inovação para colocar a Europa na linha da frente em tecnologias estratégicas e na inovação que vai moldar o nosso futuro, como sejam a inteligência artificial, biotecnologia ou energias de emissões zero», defende Carlos Moedas.    

O primeiro piloto do CEI foi lançado em 2017, com o lançamento de concursos e outras iniciativas que ajudaram a identificar as startups e PME mais inovadoras da UE. Nestes projetos foram aplicados 730 milhões de euros e apoiadas 1.276 iniciativas.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados