Partilhe nas Redes Sociais

Como é que a sua empresa de TI se pode destacar nos media?

Ana Barros, sócia fundadora da OUTMarketing Portugal e da OUTMarketing Brasil

Publicado em 3 Fevereiro 2021 | 198 Visualizações

Não há dúvidas que um relacionamento próximo com a imprensa permite-lhe conseguir publicações em meios de comunicação relevantes, o que aumenta o alcance da sua mensagem e a notoriedade da marca. Mas como é que a sua empresa de Tecnologia se pode destacar nos media?

Algumas empresas ainda pensam na imprensa – quer seja online ou offline – apenas como um espaço publicitário. Mas há características do seu produto ou serviço que não consegue apresentar num anúncio ou resumir num slogan. Portanto, conseguir que lhe atribuam mais destaque é uma alternativa para aprofundar a mensagem, especialmente quando se trata de produtos complexos e de alta implicação, como é o caso das Tecnologias de Informação (TI). Além disso, graças à credibilidade associada aos meios de comunicação, acaba por ganhar autoridade por acréscimo. Tudo de forma genuína, dando destaque ao conteúdo que realmente entrega valor acrescentado aos leitores dos meios.

Só que não há almoços grátis. Se não restam dúvidas que cultivar uma relação saudável com a imprensa é valioso, também é inegável que exige tempo, esforço e criatividade. Os contactos com os media precisam de ser trabalhados ao longo do tempo, para estabelecer uma relação de confiança antes de se associarem connosco e espalharem uma mensagem com a nossa assinatura. Por outras palavras, é uma corrida de fundo, mas uma corrida muito promissora em termos de ROI.

Duvido que agora precise de dizer mais alguma coisa para o convencer dos inúmeros benefícios da assessoria de imprensa. A grande questão é mesmo, como se destacar nos media?

A internet está saturada de conteúdo e os meios de comunicação mais tradicionais também. Por isso, precisa de acrescentar um novo ângulo e aliciar o seu público-alvo a querer descobrir mais. Quer demonstrar que tem um conhecimento aprofundado e uma visão diferenciada: relacione conceitos, ofereça a sua interpretação do mercado atual, apresente estudos e estatísticas que ilustram o seu ponto de vista. Só assim vai conseguir estabelecer-se como uma figura de autoridade e com pensamento de vanguarda.

Não adianta de nada escrever mais sobre o seu produto ou serviço, porque para isso já tem os anúncios e os conteúdos do seu blog ou website. Ninguém está à procura de anúncio glorificado na imprensa – nem os jornalistas, nem os leitores. Se há outros produtos ou serviços muito semelhantes ao seu no mercado, mais uma razão para desenvolver um estilo reconhecível e fugir das apresentações convencionais de produto.  Tudo o que envia para a imprensa deve refletir a sua proposta de valor, a sua missão e o seu tom de voz, mas não deve ser hard-selling.

No entanto, não posso deixar de lhe lançar um aviso: se acha que a internet está saturada de conteúdo, experimente a caixa de entrada de um jornalista. Quem trabalha nos media recebe centenas de press releases, artigos de opinião e newsletters por dia, portanto, não se deixa levar por chavões como ‘único’, ‘o melhor’, ‘o primeiro’ ou ‘empresa líder no setor xpto’. Pense que esse tipo de palavras são como os “pudins da casa” que encontra no menu de qualquer restaurante. Quantos é que são realmente uma  especialidade, diferente de tudo o que já provou?

Os jornalistas, redatores e editores vão preferir materiais que fazem o público clicar (ou comprar). Se a sua persona realmente lê ou consulta um determinado meio de comunicação, então deve procurar produzir conteúdos que toquem num pain point, porque é isso que vai cumprir tanto os propósitos dos editores, como os seus. Geralmente, como já sugeri, é uma boa ideia pegar em temas que são tendência ou que o seu público não domina, porque ainda não foram esgotados pelos media. Trata-se de uma situação win-win. A partir do momento em que deixar de contribuir com conteúdos relevantes, será relegado novamente para os suportes pagos.

Isto leva-nos a outra questão. Quer destacar-se nos media? Não seja egoísta. Não esteja a pedir que leiam mais “no seu website“, por mais tentador que seja o linkbuilding. Se fez bem o seu trabalho, então os potenciais Clientes vão querer saber mais sobre a sua empresa. Claro que um bocadinho de mistério é sempre atrativo, mas não precisa de levantar uma firewall. Evite ser vago ou deixar ideias a pairar no ar: seja generoso com o que oferece à imprensa, e a imprensa (e a sua audiência) serão generosas consigo.

Agora, algumas notas finais. Obter destaque na imprensa também depende em parte de alguns fatores logísticos, por isso, inclua imagens adequadas ao formato, informações sobre a sua empresa e garanta que está pronto para publicação. Lembre-se que a sua mensagem precisa de ser acessível. Depois foque-se em ser credível, porque nenhum meio de comunicação vai voltar a confiar em si se enviar artigos não factuais, hiperbólicos ou simplesmente clickbaits.

Se o ajudar, trate a imprensa como um cliente com quem definiu prazos e padrões de qualidade a cumprir num SLA. Por último, tenha em consideração que as suas personas não trabalham 100% do tempo. Nas horas vagas, também leem meios de comunicação.

No fundo, caro leitor, preparar conteúdos para a imprensa não é assim tão diferente do nosso trabalho habitual. Já vimos que tem de aliar conteúdo e forma; mas o segredo para ser bem-sucedido, é ter em mente a sua persona, os seus hábitos e o que lhe suscita curiosidade. Afinal, seja no seu blog, num anúncio de jornal ou numa revista do setor, a audiência é sempre amesma — o nosso Cliente ideal.


Publicado em:

Opinião

Etiquetado:

comunicaçãoRoi

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados