Partilhe nas Redes Sociais

PUB

Há 17 milhões de dispositivos IoT na indústria agrícola

Publicado em 4 Dezembro 2017 por Ntech.news - Ana Rita Guerra | 297 Visualizações

A base instalada de dispositivos sem fios da Internet das Coisas atingiu 17 milhões, segundo os dados da consultora sueca Berg Însight. Estes aparelhos IoT estão em plena produção e abarcam várias tecnologias, mas a consultora diz que as ligações baseadas em 802.15.4 são as mais comuns, fruto da grande adesão no segmento da produção de leite. O número de ligações deverá crescer a uma taxa anual de 10%, atingindo 27,4 milhões em 2021.

As principais áreas de aplicação destas ligações IoT são a telemática e monitorização remota através de sensores instalados nos locais. O número de ligações móveis é de apenas 800 mil, mas a Berg Insight calcula que o crescimento seja elevado – 30,2% ao ano até 3,1 milhões em 2021. Já as tecnologias LPWA vão registar o crescimento mais elevado e posicionar-se de forma significativa nos segmentos de controlo e monitorização remota.

As perspetivas para o mercado de tecnologia na agricultura são positivas, já que esta é uma indústria em que as soluções IoT não abundam e por isso o mercado potencial é vasto. Os fabricantes de equipamentos agrícolas sempre optaram por fazer parcerias com players mais pequenos e especializados, mas estão agora a desenvolver tecnologias proprietárias. «Os fabricantes de topo estão agora a investir em plataformas técnicas capazes de suportar integração com hardware e software de terceiros, à medida que o equipamento agrícola se torna parte de sistemas mais alargados», explica Fredrik Stålbrand, analista IoT da Berg Insight.

Por exemplo, no sector de cultivo surgiu um grupo de empresas a liderar o mercado para soluções de agricultura de precisão. Estão entre elas a Deere & Company, Trimble, Topcon Positioning Systems e Raven Industries. Outros fabricantes são a AGCO, Ag Leader Technology, DICKEY-john e Hexagon.

No segmento de lacticínios, o maior fabricante de equipamento, DeLaval, oferece um sistema proprietário de monitorização de atividade, além das soluções de infraestrutura para ordenha e criação. Outros fornecedores importantes de sistemas de sensores para vacas leiteiras são a Nedap e a SCR (do grupo Allflex).

O ambiente tecnológico cada vez mais complexo em que os agricultores operam também exige que as empresas ofereçam mais serviços para integrar e suportar o leque de tecnologias que são usadas em sistemas de produção avançada, nota o relatório.  «Enquanto a interoperabilidade entre sistemas continua a ser um desafio, a necessidade de serviços e suporte técnico de fornecedores locais irá aumentar, com a adoção continua de soluções de agricultora de precisão, sensores no terreno e tecnologias de monitorização de animais», completa Stålbrand.

 


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados