Partilhe nas Redes Sociais

PUB

Infinidat aponta 5 fatores que ajudam a determinar preços no consumo de armazenamento

Publicado em 30 Julho 2020 | 138 Visualizações

A Infinidat identificou um conjunto de cinco fatores considerados determinantes no âmbito dos modelos de preços no consumo de armazenamento.

A empresa acredita que os modelos de preços no armazenamento estão a passar por um processo de mudança, «com as empresas a reavaliar as suas necessidades de infraestrutura, e em concreto de armazenamento», procurando ao mesmo tempo obter «mais agilidade e flexibilidade».

Com o objetivo de dar mais opções aos clientes, alguns fabricantes introduziram modelos de pagamento por uso (OpEx) como alternativa aos planos de compra antecipada (CapEx), «menos dispendiosos, mas pouco flexíveis».

«Algumas empresas optam por modelos CapEx tradicionais, com um menor custo ao pagar antecipadamente o armazenamento a longo prazo, mas estas empresas, na realidade, são a exceção», referiu a propósito, Daniel Cruz, responsável da Canal da Infinidat para o Sul da Europa.

À medida que se avaliam as necessidades de armazenamento e se determina o modelo de custos, a Infinidat recomenda ter em conta os seguintes aspetos:

  • Compreender qual é o modelo de negócio que melhor se adapta à organização: onde faz sentido o OpEx, e onde faz mais sentido o CapEx?
  • Calcular os custos ocultos que estão a afetar a organização em consequência das iniciativas para obter flexibilidade.
  • Confirmar tudo o que o fornecedor garante.
  • Saber se o fornecedor estará disposto a aprovisionar antecipadamente hardware extra para que esteja disponível de imediato quando for necessário no futuro.
  • Ter claras as previsões de crescimento da empresa.

«Em vez de se comprometer com um modelo concreto (CapEx ou OpEx), porque não ter a capacidade de combinar ambos, em função das necessidades concretas para cada projeto ou workload?», questiona ainda Daniel Cruz.

Elastic Pricing: a capacidade necessária sempre à mão

A Infinidat propõe a adoção de modelos elásticos que permitam dispor da capacidade de que as empresas necessitam. Trata-se de um novo modelo de aquisição e consumo de capacidade de armazenamento que permite aos clientes adquirir armazenamento combinando investimento em capital (capacidade base) e investimento operativo (capacidade adicional temporária).

Os responsáveis de TI podem, em função das restrições orçamentais e necessidades empresariais, «auto-aprovisionar capacidade base ou adicional, e tornar a capacidade temporária em capacidade base em qualquer momento, sem penalizações, para dar resposta às necessidades de flexibilidade e rentabilidade das empresas».

No caso da Infinidat, as suas soluções de elastic pricing, «dão aos clientes flexibilidade própria da cloud, com níveis de custos disruptivos e desempenho multi-petabyte escalável com tempos de latência inferiores ao milissegundo e garantia de disponibilidade dos dados de 100%».


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados