Partilhe nas Redes Sociais

Integrity part of Devoteam tem 100 vagas de emprego em aberto

Publicado em 15 Novembro 2021 | 100 Visualizações

A Integrity part of Devoteam está à procura de 100 novos colaboradores, para integrar a empresa até final do ano e duplicar o atual tamanho da equipa. Especialista em serviços de segurança da informação (nomeadamente em pentesting) em auditoria e consultoria, a Integrity quer reforçar a capacidade de operar no mercado nacional e internacional. 

A empresa já identificou os perfis mais relevantes para esta campanha de recrutamento. Está sobretudo à procura de pentesters, gestores de projeto, developers, sales consultants, entre outros perfis, com diferentes níveis de experiência. 

Os novos colaboradores vão dar apoio a projetos integrados em sectores mais tradicionais na atividade da companhia, como o sector financeiro, energia, indústria, distribuição, saúde e sector público. Na lista de clientes também estão grandes marcas de luxo e clubes de futebol de topo. 

A Integrity, fundada e liderada por Rui Chantilal, foi em junho passado adquirida pela Devoteam, passando a operar para 18 países, num grupo com oito mil colaboradores, entre os quais 600 consultores de cibersegurança. 

«O desafio em cibersegurança é enorme. A sofisticação e a criatividade dos atacantes tem se intensificado e para dar resposta é preciso ter os melhores talentos», admite o responsável, que liderada a empresa desde a sua fundação há 12 anos. . 

Há cerca de um ano, em entrevista ao Ntech.News, Rui Chantilal caraterizava o mercado português como um clube de segunda divisão, no campeonato da cibersegurança, admitindo que as empresas locais ainda tinham um longo caminho a percorrer para priorizar o tema da forma mais correta. 

Na mesma divisão encaixava países como a Itália, França ou Bélgica. A preocupação com o tema da cibersegurança e os recursos direcionados estão a crescer, mas a estratégia continua arredada da primeira linha de decisão das empresas, ao contrário do que se verifica em países como a Alemanha ou o Reino Unido, «onde é impensável não haver um security manager numa empresa média ou grande», exemplificou o responsável.   


Publicado em:

Talento

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados