Partilhe nas Redes Sociais

PUB

Organizações avaliam ciber-resiliência

Publicado em 29 Maio 2020 | 164 Visualizações

Com o intuito de dar seguimento à sua Iniciativa de Transparência Global, a Kaspersky anuncia o lançamento do programa Cyber Capacity Building, passando também a disponibilizar o acesso remoto aos serviços dos seus Centro de Transparência.

Este programa de formação vai permitir a empresas, organizações governamentais bem como a instituições académicas, adquirirem mais conhecimentos sobre como avaliar a segurança da sua infraestrutura de TI.

Com a digitalização a evoluir todos os dias, é importante que as empresas disponham de uma infraestrutura de TI forte e que assegure a integração e execução de várias plataformas de software e hardware sendo, ao mesmo tempo, «capaz de tornar as operações mais eficientes», defende a Kaspersky. Nesse sentido, é necessário torna esta infraestrutura “ciber-resiliente”.

Com o objetivo de ajudar as organizações a avaliarem e garantirem a segurança e integridade das suas infraestruturas de TI, a Kaspersky desenvolveu o programa Cyber Capacity Building que compreende uma formação, disponível tanto online como offline, «concebida para ajudar empresas, organizações governamentais e instituições académicas a adquirirem conhecimentos e ferramentas práticas de modo a realizarem avaliações de segurança».

Desta forma, poderão assegurar a segurança e integridade de aplicações de terceiros que estejam incorporadas nas suas redes de TI ao mesmo tempo que se tornam capazes de identificar, gerir e mitigar eventuais riscos de cibersegurança.

«Desde a abertura dos nossos Centros de Transparência, desenvolvemos uma expertise na avaliação de produtos de segurança e observámos que disponibilizar o código fonte para revisão não é suficiente», recordou Oleg Abdurashitov, Head of Public Affairs da Kaspersky.

«Neste contexto, o programa Cyber Capacity Building permitirá às organizações desenvolverem competências para realizarem avaliações de segurança adequadas aos produtos que utilizam e, assim, a reforçar a ciber-resiliência das suas redes» comentou ainda .

Para participar neste programa, é necessário ter conhecimento básico sobre o ciclo de vida do desenvolvimento de software, programação e segurança da informação. A formação inclui uma introdução à avaliação de produtos de segurança e à modelação de ameaças, bem como análise do código fonte e gestão de vulnerabilidades.

A participação no programa-piloto será gratuita e lançada, em primeiro lugar, no terceiro trimestre de 2020, para organizações governamentais e académicas. Posteriormente, ainda em 2020, o programa passará a estar disponível também para empresas privadas.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados