Partilhe nas Redes Sociais

Primeiro-Ministro defende acordo internacional para taxar gigantes tecnológicos

Publicado em 15 Novembro 2019 | 141 Visualizações

António Costa defende que só um acordo internacional criará condições para taxar os gigantes tecnológicos, sem penalizar os países que adotem este tipo de taxa. A posição foi defendida pelo responsável na conferência Aliança Progressista, em Estocolmo, esta quinta-feira. 

“Nenhum país por si só pode tributar efetivamente gigantes da tecnologia como a Google, a Amazon ou a Microsoft sem ser penalizado pela concorrência desleal», defendeu o Primeiro Ministro português, num discurso citado pelo Negócios. «Somente através da cooperação internacional nesse campo seremos fortes o suficiente para enfrentar esse desafio», acrescentou. 

Recorde-se que já este ano foi votado no Parlamento português um projeto-lei do BE que propunha a criação de uma taxa local às tecnológicas, iniciativa que acabou chumbada com os votos do PS, PSD e CDS-PP. A nível europeu o tema está há muito em cima da mesa, mas a falta de consenso ainda não permitiu alcançar resultados.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados