Partilhe nas Redes Sociais

Startups em Portugal: O que fazem os municípios para fomentar a inovação?

Publicado em 25 Julho 2018 por Ntech.news | 452 Visualizações

Em média, 30% das Câmaras Municipais nacionais têm fundos de apoio a startups ou outros mecanismos de facilitação de investimento que aceleram o crescimento destes negócios e alavancam o desenvolvimento local. Este marco está identificado no everis startup map, desenvolvido pela everis para traçar o perfil do ecossistema empreendedor em Portugal.

Neste mapa identifica-se ainda que 87% das Câmaras Municipais apoia diretamente uma ou mais incubadoras no seu concelho. Este apoio acontece de forma bastante diversificada, que vai do apoio institucional à propriedade ou participação no capital da incubadora, passando pela disponibilização de espaço, pelo apoio na gestão ou pela dinamização de atividades empreendedoras (formação, mentoria, programas de aceleração, eventos, etc.). A criação de espaços com rendas controladas e a co-organização de eventos para startups são as mais comuns.

As startups reconhecem o papel dos municípios, em especial a disponibilização de espaços físicos (26% não pagam renda e 43% pagam menos de 250 Euros) e a realização de eventos relacionados com empreendedorismo, inovação e tecnologia.

No entanto, parte das startups acredita que os apoios devem ser reforçados e que é necessário implementar outras iniciativas, designadamente incentivos fiscais e apoio financeiro direto. Estas duas mesmas sugestões são feitas pelas incubadoras, que sublinham ainda a importância de apostar em eventos internacionais.

As incubadoras existentes nos 30 municípios que estiveram envolvidos neste mapa possuem cerca de 939 startups incubadas. Em média, uma startup fica 2,8 anos numa incubadora. 46% das startups estão incubadas fisicamente e 54% das Startups estão incubadas virtualmente.

59% das startups têm uma base tecnológica, nomeadamente ligada ao desenvolvimento de software nas seguintes áreas:

• Biotecnologia

• Inteligência Artificial

• Robótica

• Impressão 3D

• Drones

• Realidade Virtual e Aumentada

• Blockchain

• Nanotecnologia

Os benefícios das políticas municipais de atração de investimento e desenvolvimento económico são das mais variadas ordens, como a dinamização da atividade económica e a captação de investimento, a fixação da população, com retenção de talento e de recursos qualificados, assim como a redução do desemprego e o aumento do poder de compra, mas também a valorização de produtos locais, requalificação do município (parques industriais, zonas históricas e zonas rurais), aumento do turismo e da atratividade do concelho.

A qualidade de vida de cada concelho é um fator de posicionamento das Câmaras Municipais que permite aumentar a sua atratividade e captar novas startups. 75% das startups indicaram que o que distingue o Município em que se encontram sediados de outros é a rede de ensino, proximidade de praias e/ou trilhos de montanha, oferta desportiva, equipamentos culturais, custo de vida e acesso a cuidados de saúde.

Susana Cunha Bandarrinha, Startup Catalyst at everis, reconhece que os municípios «estão cada vez mais atentos ao tema do empreendedorismo, apostando ativamente em estratégias e políticas de desenvolvimento local».

 


Publicado em:

Startups

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados