Partilhe nas Redes Sociais

PUB

VINCI Energies consolida a estratégia de crescimento e desenvolvimento em Portugal

Publicado em 13 Janeiro 2020 por Ntech.news | 868 Visualizações

(Notícia atualizada) A Vinci Energies, que em Portugal é conhecida através da sua marca Axians, adquiriu a Novabase Digital, passando a controlar as operações de «application and data analytics» da tecnológica nacional em três setores: governo, transportes e energia.

A conclusão do negócio, anunciado no início de novembro, acontece agora, depois do aval da Autoridade da Concorrência, que analisou a operação e o seu impacto no mercado. 

A Vinci, através da Axians, explica assim as vantagens da operação: «poder contar com o reforço de mais de 400 especialistas na transformação de serviços críticos para a sociedade em serviços digitais nativos, com créditos reconhecidos em Data Analytics e Business Applications, é um argumento chave».

Em declarações ao Ntech.news, a empresa acrescenta ainda que «esta aquisição consolida a estratégia de crescimento e desenvolvimento da Vinci Energies em Portugal, através da sua marca Axians».

O negócio vai dar à Novabase um encaixe de 33 milhões de euros. À data do anúncio a Novabase sublinhava que a venda lhe permitiria «acelerar a execução da sua estratégia, libertando recursos importantes para os investimentos que pretendemos fazer e para honrar os compromissos que estabelecemos com os nossos acionistas». 

Recorde-se que Vinci e Novabase já tinham feito um negócio do género antes deste, quando em 2017 o grupo francês comprou a unidade de infraestruturas e serviços geridos da Novabase. Este primeiro negócio rendeu um pouco mais de 44 milhões de euros à Novabase.

A segunda unidade que a Novabase vende à Vinci faturou 35 milhões de euros em 2018 e emprega 400 colaboradores. Em relação aos próximos passos do negócio, a Axians explicou ao Ntech.news que «a integração da nova empresa decorrerá com a normalidade que é reconhecida à VINCI Energies Portugal».

A subsidiária do grupo francês frisa ainda que «empresas como a Sotécnica ou a Novabase IMS, ainda que em épocas diferentes, tiveram processos de integração sem quaisquer sobressaltos e com particular preocupação pelo bem-estar dos seus colaboradores».

A notícia foi atualizada [21-01-2020] para incluir declarações da Axians sobre o negócio.


Publicado em:

Atualidade

Etiquetado:

negócioNovabaseVinci

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados