Partilhe nas Redes Sociais

PUB

4 estratégias para a modernização do SAP

José Freire, Cloud Services Manager na Bizdirect

Publicado em 27 Maio 2020 | 659 Visualizações

Um dos desafios mais relevantes que as empresas enfrentam atualmente no seu caminho de transformação digital, é a modernização aplicacional. Por definição, a modernização aplicacional é o processo de migração, evolução e/ou transformação de aplicações legacy em aplicações suportadas por infraestruturas mais modernas, com novas funcionalidades e benefícios para a organização. Como exemplo, temos os sistemas de gestão, os ERPs – que são aplicações core das organizações e que em versões anteriores, não era permitida a mesma agilidade e eficiência na sua gestão – de forma a capacitar a organização com a agilidade e competitividade que o mercado atual exige, como as versões mais recentes. Torna-se, portanto, uma das principais prioridades no processo de modernização aplicacional.

Porque devem ser modernizadas as aplicações legacy?

Ao longo do tempo, tipicamente as aplicações legacy tornam-se mais difíceis de gerir, de atualizar para novas versões e de poderem escalar, acompanhando as necessidades do negócio, que tem uma grande dinâmica. Historicamente, os sistemas foram desenhados e apoiados a nível de infraestrutura por modelos monolíticos cujas componentes são interdependentes e têm que evoluir de forma transversal.

Destaco 4 estratégias de modernização aplicacional:

Em cenários típicos, o primeiro passo é o Rehosting (Lift & Shift). Este método envolve um risco e esforço mínimo em mover para a Cloud os workloads dos data center tradicionais. Esta estratégia implica a mudança de aplicações e serviços existentes que podem estar a ser executados em máquinas físicas ou virtuais num data center tradicional, para máquinas virtuais que estão a funcionar na Cloud. Este movimento também pode envolver, de forma antecipada ou como parte das atividades de migração para a Cloud, a virtualização em containers do ambiente existente.

Esta abordagem tem a vantagem de reduzir drasticamente a necessidade de infraestrutura e os seus custos operacionais. Utilizando este método de migração para a Cloud, as organizações vão descobrir que as suas aplicações podem adquirir novas arquiteturas facilmente. Tal beneficiará a organização a longo prazo, pois incentivará a uma abordagem Cloud-first e a desenvolver novas competências de apoio ao negócio.

  • O Re-platforming oferece alguns benefícios imediatos e modestos, quase sem risco. A estratégia envolve fazer algumas otimizações durante a migração para tirar o melhor proveito da utilização da Cloud. São usados durante a migração serviços de Cloud comuns, como balanceadores de carga, para poder reduzir o número de máquinas virtuais, o número de configurações e de processos operacionais, sem alterar a aplicação existente. Durante a migração, realizar algumas modificações mais amigáveis à Cloud na aplicação permite reduzir os riscos, evitando migrar scripts e configurações que são frágeis.
  • O Re-factoring é um método de transformar uma aplicação que não foi concebida para a nuvem numa aplicação nativa para a Cloud. A estratégia de migração altera tudo na aplicação: os componentes, o código e os dados em si. Esta estratégia é impulsionada pela necessidade de uma empresa adicionar novas funcionalidades, escalar a aplicação ou otimizar o seu desempenho que, de outra forma, seriam difíceis de alcançar no ambiente existente. Embora esta seja certamente a opção mais cara para migrar para a Cloud, se as organizações estão à procura de aumentar a sua agilidade e melhorar a continuidade do negócio, esta estratégia será a mais benéfica a longo prazo.
  • O Replacing pode ser o método mais simples e seguro para executar os serviços na Cloud. Elimina completamente as componentes da aplicação anterior e substitui-a, tendo em conta novos requisitos e necessidades.

O SAP HANA é um exemplo claro deste processo de modernização que veio dar resposta aos novos requisitos atuais do negócio. As estratégias de Cloud que mencionei anteriormente: Re-host, Re-platform, re-factor e replace são recomendas também neste processo de modernização do SAP, atendendo aos inúmeros benefícios que os serviços Cloud do Microsoft Azure representam nesta modernização aplicacional.

Vai ser um exercício fundamental na estratégia de inovação e modernização das empresas!


Publicado em:

Opinião

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados