Partilhe nas Redes Sociais

Falhas de segurança custam em média 74 mil euros às PME

Publicado em 21 Novembro 2017 por Ntech.news - Rui da Rocha Ferreira | 464 Visualizações

Segurança informática Kaspersky

Vivemos num mundo de perigo constante, pois não só os ataques informáticos estão a ficar mais sofisticados e abrangentes, como os próprios piratas informáticos estão a ficar mais profissionais na forma como gerem os seus ataques. As empresas, independentemente do seu tamanho ou sector de atividade, precisam de estar preparadas para qualquer eventualidade.

Mais não seja por causa dos custos associados a um ataque informático. Segundo contas da empresa de segurança Kaspersky, detalhadas no relatório IT Security: cost-center or strategic investment?, ser vítima de um ataque informático representa uma despesa média de 87 mil dólares, o equivalente a 74 mil euros, às pequenas e médias empresas.

Esta é uma média feita a nível global, mas que não deixa de mostrar o forte impacto que um ataque informático pode ter. Quando as contas são feitas para as grandes empresas, então o custo médio dos ataques informáticos sobre para 992 mil dólares, cerca de 845 mil euros.

O relatório da Kaspersky descobriu outro elemento relevante – o custo médio dos ataques é significativamente superior quando o alvo dos mesmos não são diretamente as empresas, mas sim parceiros externos como fornecedores de serviços de Infraestrutura as a Service (IaaS).

Quando as falhas de segurança afetam parceiros externos, a despesa média para as PME sobre para os 119 mil euros, enquanto a despesa média para as grandes empresas sobe para 1,53 milhões de euros por ataque.

«Enquanto incidentes de cibersegurança que envolvem terceiros são prejudiciais para empresas de qualquer tamanho, o seu impacto financeiro tem a capacidade de criar o dobro do prejuízo. Isto deve-se a uma escala maior e mais global do desafio – as ameaças transformam-se rapidamente, mas as empresas e a legislação mudam lentamente. Quando regulações como o RGPD forem aplicadas e detetarem empresas antes de estas conseguirem atualizar as suas políticas, as multas de incumprimento só vão aumentar a conta final», alertou o diretor de negócios corporativos da Kaspersky Lab, Alessio Aceti, em comunicado.

O estudo da tecnológica russa revela ainda que atualmente as grandes empresas já dedicam perto de 23% dos seus orçamentos de tecnologias da informação para questões de segurança informática, um número que acaba por ser consistente em empresas de todos os tamanhos, lê-se na informação enviada à imprensa.


Publicado em:

Atualidade

Partilhe nas Redes Sociais

Artigos Relacionados